ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Beyond
informes - ABONG

37024/10/2006 a 30/10/2006

16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres

Mais uma vez, a Agende - Ações em Gênero Cidadania e Desenvolvimento (Brasília/DF) dá início à mobilização para a Campanha 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, que neste ano acontece no período de 25 de novembro, Dia Internacional da Não-Violência contra as Mulheres, a 10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos. A iniciativa, que será lançada em 20 de novembro, no Dia Nacional da Consciência Negra, conta com a parceria ONGs, redes e articulações nacionais de mulheres, feministas e de direitos humanos, órgãos governamentais, agências da ONU e empresas públicas e privadas.

A Campanha é uma iniciativa do Centro para a Liderança Global das Mulheres (Center for Women´s Global Leadership), realizada em cerca de 130 países e promovida no Brasil desde o seu lançamento, em 1991. O tema mundial de 2006 é Celebrando 16 Anos dos 16 Dias: Promover os Direitos Humanos e pôr fim na violência contra as mulheres.

No Brasil, com o lema 16 anos de Campanha: assuma essa luta, a mobilização dá ênfase, nesta edição, a 16 segmentos de mulheres que sofrem os mais diferentes tipos de violências - entre eles, lésbicas, meninas, negras -, visando a prevenir, a dar visibilidade à problemática e a orientar as mulheres em situação de violência sobre os caminhos a serem percorridos para romper com o ciclo da violência e do silêncio. A intenção é também reforçar a idéia de que o combate à violência contra as mulheres deve estar no cotidiano de todas as pessoas, independente de idade, classe, raça/etnia, preferência sexual.

Marlene Libardoni, diretora executiva da Agende, salienta que a violência contra a mulher engloba desde pequenas agressões cotidianas até os casos extremos como os homicídios. "Amplamente disseminada, a violência está determinada por condições socioeconômicas, políticas e está ancorada numa cultura em que as relações de gênero são desiguais e discriminatórias em relação às mulheres." Nesse sentido, ela lembra que, em 7 de agosto deste ano, foi sancionada a Lei Nº 11.340 - a Lei "Maria da Penha" - que, entre outros, cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo (2002), como ressalta Marlene, revelou que, a cada 15 segundos, uma mulher brasileira é agredida em seu próprio lar. "Esta realidade atenta contra os direitos humanos das mulheres e sua plena cidadania. A Campanha 16 dias de ativismo é uma estratégia para dar visibilidade ao problema e sensibilizar a sociedade e o Estado, e deve ser entendida como parte do processo coletivo para erradicar a violência de gênero da sociedade brasileira." 
Saiba mais e participe: www.agende.org.br/16dias. E-mail: campanha16dias@agende.org.br

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca