ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Beyond
informes - ABONG

33730/01/2006 a 6/02/2006

Vigílias pedem fim à violência contra as mulheres em PE

A violência contra as mulheres no Estado de Pernambuco é alarmante: em 2005, de acordo com dados do Núcleo contra as Desigualdades da Secretaria de Defesa Social, foram assassinadas em Pernambuco 290 mulheres, sendo que, destas, 235 estavam na faixa etária acima de 18 anos. Em 2006, somente em janeiro e nos dois primeiros dias de fevereiro, houve 37 homicídios de mulheres no Estado, a maioria jovem e assassinada por parceiros (ex ou atuais) ou homens com quem estabelecia uma relação de proximidade. 

Conforme Joana Santos, educadora do SOS Corpo – Instituto Feminista para a Democracia, ONG integrante do Fórum de Mulheres de Pernambuco (FMPE), a falta de um aparato legal que garanta a punição do agressor e de um maior número de delegacias da mulher, centros de referência e casas-abrigo contribuem para a continuidade dos casos no Estado, porque as mulheres se sentem intimidadas a denunciar. 

Diante disso, o Fórum de Mulheres de Pernambuco – integrado por 67 organizações de mulheres e por feministas autônomas –, articulando ações com os movimentos sociais, deu ampla divulgação à sua indignação e ao seu protesto diante da violência que atinge as mulheres no Estado, cobrando dos governos a responsabilidade constitucional para com a garantia e proteção da vida e da segurança da população em especial para as mulheres. “Será realizada na última terça-feira de cada mês uma vigília, com o significado político de manifestar à população nossa indignação e protesto a este grave quadro de homicídios das mulheres e de sensibilizar a sociedade para juntar-se a esta luta. É hora de pôr um basta nesta visão patriarcal e discriminatória! A violência que é praticada contra a mulher dentro ou fora de casa diz respeito a todas e todos nós”, ressalta Joana. 

O FMPE também apresenta à sociedade uma carta aberta sobre esta situação de violência, bem como continuará a pressionar o Estado – governos municipais, estadual e federal – por medidas que garantam a prevenção e o enfrentamento da violência e a proteção das mulheres em situação de violência. 

No âmbito das ações articuladas com o movimento de mulheres em nível nacional, Joana relata que estão acompanhando o processo de votação do Projeto de Lei nº 4.559, de 2004, do Poder Executivo, apresentado pela deputada Jandira Fegali, que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher, mas que ainda não foi à votação. “É fundamental mantermos a mobilização social para pressionar o Congresso e o presidente da câmara para que seja colocado com urgência na pauta para votação. Esta é mais uma luta que também se soma ás diversas ações dos movimentos de mulheres e demais movimentos sociais para o enfrentamento da violência. “ www.soscorpo.org.br/

 

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca