ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • Action2015
informes - ABONG

3107/06/2005 a 13/05/2005

Rede de Tecnologia Social em ação

Muitas ações e debates estão marcando o início das atividades da Rede de Tecnologia Social (RTS), uma iniciativa voltada para a reaplicação de tecnologias sociais em território nacional, lançada oficialmente em 14 de abril. A RTS nasce da reunião de seis entidades/ministérios - Fundação Banco do Brasil (FBB), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Instituto Ethos, Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Petrobras e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), hoje, instituições mantenedoras da Rede -, que se articularam, em 2004, para constituir uma rede que potencializasse e expandisse as chamadas TSs (tecnologias sociais), conceito trabalhado centralmente pela FBB. Completando o conjunto de instituições parceiras que compõem o Comitê Coordenador da RTS está o Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras, que estabelecerá o elo com instituições de ensino e pesquisa.

Entre as ONGs e articulações que fazem parte da RTS está a Abong - representada por Ricardo Mello, diretor do Regional Sudeste da Abong e diretor de comunicação do Centro de Ação Comunitária (Cedac/RJ) -, como articuladora de redes sociais, juntamente com a Articulação do Semi-Árido Brasileiro (ASA), o Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) e o Instituto Ethos. 

Tecnologias Sociais, como explica Mello, consistem em soluções - técnicas, metodológicas - criadas para resolver determinada demanda ou dificuldade, com potencial de gerar transformação social. "A RTS não atua no sentido de criar, mas de reaplicar em escala TSs validadas em território nacional", informa. Mello ressalta que as TSs são classificadas como prioritárias e complementares, caracterizando-se as complementares como aquelas não tão diretamente ligadas à geração de trabalho e renda, eixo de investimento definido para 2005.


Conforme o diretor da Abong, a RTS definiu que em 2005 a prioridade são projetos das Regiões Norte e Nordeste e das periferias (bolsões de pobreza) dos grandes centros urbanos. Um critério adicional faz com que sejam privilegiadas as regiões nas quais existam Consórcios de Segurança Alimentar e Desenvolvimento, política implementada pelo Ministério do Desenvolvimento Social (Consads).


Conheça a RTS: www.redetecnologiasocial.net


Edital: Tecnologia de incubação de empreendimentos solidários

A RTS informa: em 10 de junho, termina o prazo para o envio eletrônico de propostas referentes ao edital sobre tecnologia de incubação de empreendimentos solidários. A chamada pública é uma iniciativa do MCT, da Finep e da CEF. O objetivo é selecionar propostas de apoio financeiro a projetos de reaplicação de tecnologias que busquem gerar trabalho e renda. Dois tipos de ações deverão ser contemplados: incubação de incubadoras de empreendimentos solidários e incubação de empreendimentos solidários. As instituições interessadas devem acessar o link Chamada Pública/Formulário:
www.finep.gov.br/formularios_manuais/inclusao.asp. Outras informações pode ser obtidas com Michelle Lopes, da assessoria de comunicação da RTS: imprensa@redetecnologiasocial.net..

lerler
  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca