ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Petrobras
  • REDES

    • Plataforma MROSC
informes - ABONG

30129/03/2005 a 4/04/2005

Cinco recebem o diploma Mulher-Cidadã Bertha Lutz

Como ocorre há quatro anos, cinco mulheres foram premiadas pelo Conselho do Diploma Mulher-Cidadã Bertha Lutz, do Senado Federal. A entrega dos Diplomas aconteceu em 10 de março, em sessão solene no Senado. As homenageadas, que deram diferentes contribuições em prol dos direitos humanos e das mulheres, foram: a coordenadora nacional do projeto 1000 Mulheres para o Nobel da Paz e integrante do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Clara Charf; a biofarmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes; a escritora e jornalista Palmerinda Donato; a gari Rozeli da Silva; e a pediatra Zilda Arns.

Militante do PT e membro da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, Clara Charf salienta que a importância do diploma está no mérito da vida de Bertha Lutz, pioneira, no Brasil, na luta pelo direito das mulheres ao voto. "Bertha batalhou por mais de 50 anos pelos direitos das mulheres, enfrentando todo o tipo de preconceito, e chegou a participar da reunião na ONU em que foi estabelecido o Ano Internacional da Mulher, em 1975", lembra.

Para Clara, as cinco contempladas expressam, na sua história de vida e de luta, a força, a garra e o valor das mulheres brasileiras. "Desde Rosely, ex-menina de rua, mãe aos 11 anos, gari, lutando, estudando e que, hoje, dirige a ONG Renascer da Esperança em defesa dos direitos das crianças, até Maria da Penha, paraplégica em conseqüência da violência praticada pelo ex-marido, que formou a Associação dos Parentes de Vítimas de Violência Doméstica." 

Clara, que não mediu esforços para conscientizar a sociedade brasileira da relevância de o Brasil enviar suas indicações para o 1000 Mulheres para o Prêmio Nobel da Paz 2005, informa que o Projeto está ultimando o trabalho da organização em todos os países que dele participam e, em outubro, o Comitê do Prêmio, sediado em Oslo (Noruega), deverá decidir e tornar público, entre diversas propostas, quem receberá o Prêmio. "De qualquer maneira, será lançado um livro com o perfil das mil mulheres. Estamos orgulhosas , como brasileiras, em participar com a nossa cota de um projeto inédito na história da humanidade".

lerler
  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca