ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Beyond
informes - ABONG

30022/03/2005 a 28/03/2005

FSNE avalia seu processo e programa novas ações

Assim como o Fórum Social Mundial, o Fórum Social Nordestino (FSNE) dá continuidade ao seu processo depois do evento, ocorrido no período de 24 a 27 de novembro de 2004. A Coordenação Colegiada do I FSNE reuniu-se em 26 e 27 de fevereiro, em Recife (PE), com dois objetivos: sistematizar a avaliação do I Fórum e pensar estratégias de seguimento. Estiveram presentes representações de 11 das 19 redes que integram a Coordenação, bem como oito dos nove Comitês Estaduais e seis das sete Comissões da primeira edição do evento. 

Entre os pontos da avaliação geral, concluiu-se que, em que pesem as dificuldades originadas pelo curto espaço de tempo para preparação e o contexto eleitoral nesse período, o FSNE resgatou o sentido da política no Nordeste, dando visibilidade aos movimentos da Região e caracterizando-se como um evento político de marcada presença popular, que articulou distintos saberes. Contudo, se o evento comprovou que os movimentos sociais estão vivos e fortes no Nordeste, veio também para mostrar as suas fragilidades e as das organizações para contribuir em articulações deste porte. Os limites de capilaridade em muitas redes vieram à tona. 

Já a juventude teve muitos êxitos nesse primeiro Fórum, como sua integração na programação e pauta e a superação de guetos. A comunicação do evento foi eficaz: levou questões para o Fórum e trouxe a mídia alternativa. Por outro lado, a Economia Solidária não se constituiu como eixo estruturador, fazendo-se presente apenas como atividade pontual ou suporte, como na Praça de Alimentação. 

Porém, o I FSNE não levou o Nordeste como pauta para o Fórum Social Mundial, mas, por meio da mídia alternativa, conseguiu criar um ambiente muito favorável à visibilidade do Nordeste no processo dos Fóruns Sociais e politizou a participação das organizações do Nordeste no FSM. 

Para Mônica Oliveira, diretora do Regional da Abong Nordeste 1 e membro da Coordenação Colegiada e Executiva do I FSNE, as ações definidas para o seguimento do FSNE denotam a importância com que ele está sendo encarado pelas organizações que compõem sua Coordenação Colegiada e pelos Comitês de mobilização dos nove Estados do Nordeste. "O eixo das ações é aprofundar as discussões políticas sobre as principais questões que se destacaram no evento de novembro, favorecendo espaços de conhecimento e construção de posicionamentos para os diversos movimentos e redes que estão no processo FSNE", ressaltou.

Entre as ações de seguimento do FSNE, acontecerão quatro debates regionais, dando seqüência à agenda do Nordeste. O primeiro deles ocorrerá em abril. A data do próximo Fórum Social Nordestino ainda não foi definida. 

www.forumsocialnordestino.org.br


Transposição do Rio São Francisco será o primeiro debate

Entre os temas aprovados pela Coordenação do FSNE para os debates regionais, está a Videoconferência Transposição das Águas do Rio São Francisco, que contará com a participação de representações de todos os Estados do Nordeste. A discussão terá a perspectiva do desenvolvimento do Nordeste como foco e tratará de temas como: meio ambiente, questão da terra e reforma agrária, luta pela água, agronegócio x agricultura familiar, semi-árido. Data: 6 de abril. Local: Assembléias Legislativas do Nordeste.

lerler
  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca