ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política
informes - ABONG

28110/08/2004 a 16/08/2004

Esplar e PDHC avaliam relações de gênero no semi-árido

Em 2 de agosto, o Esplar - Centro de Pesquisa e Assessoria e o Projeto Dom Helder Câmara (PDHC) lançaram a Cartilha Relações de gênero no semi-árido, que traz o resultado do diagnóstico realizado em 18 assentamentos do semi-árido cearense, dos municípios de Quixadá, Quixeramobim, Choró e Banabuiu. 

Conforme a coordenadora de Programa do Esplar, Letícia Peixoto, a motivação para a realização deste diagnóstico surgiu com a parceria entre Esplar e PDHC, por meio de um projeto que atua em cinco Estados do Nordeste. Cada Estado tem selecionada uma ONG Referencial de Gênero - caso do Esplar, no Ceará . 

As equipes das ONGs acordaram com o PDHC que realizariam, nos cinco Estados, um diagnóstico das relações de gênero nas áreas de atuação do Projeto, que são os assentamentos de reforma agrária e as comunidades de agricultura familiar. O processo levou seis meses e envolveu 33 trabalhadores rurais e 65 trabalhadoras rurais. 

Para o estudo, o Esplar coletou e analisou dados e informações de assentados e assentadas acerca de temáticas como divisão sexual do trabalho, acesso ao crédito, saúde sexual e reprodutiva. Segundo Letícia, os resultados indicam que ainda existe uma forte desigualdade, discriminação e opressão de gênero nessas áreas, como relações de hierarquia e superioridade dos homens em relação às mulheres, maior carga de trabalho sobre as mulheres, falta de reconhecimento e desvalorização do trabalho das mulheres. "Consideramos que para colaborar com relações de gênero mais igualitárias, é necessário, entre outros, que os técnicos e técnicas que desenvolvem trabalhos de campo reconheçam e valorizem as mulheres como trabalhadoras rurais e sujeitos políticos da realidade em que vivem", pontua Letícia. "No diagnóstico, 60% dos homens se consideram assistidos tecnicamente em contraposição a 22% de mulheres". esplar@esplar.org.br

lerler
  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca