ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Fórum Social Mundial
informes - ABONG

24314/08/2003 a 20/08/2003

Terra dos Homens divulga dados de pesquisa sobre abrigos

A ONG Associação Brasileira Terra dos Homens acaba de divulgar os resultados da sua pesquisa Reordenamento de Abrigos, realizada com 69 instituições que atendem crianças de 0 a 11 anos no município do Rio de Janeiro. Ao todo, foram visitados 104 abrigos, com um total de 1.981 crianças e adolescentes. Dos 69 visitados (66%), 38 também atendem adolescentes com mais de 12 anos - estes, fizeram parte do levantamento realizado pela ONG Excola, responsável pelos abrigos que acolhem adolescentes. Um dos resultados mostra que a falta de investimentos em políticas públicas é responsável por 51,01% dos casos de crianças e adolescentes pesquisados. 

Entre os fatores motivadores da pesquisa, a diretora-executiva da Terra do Homens, Cláudia Cabral, apontou para o fato de, depois de 13 anos de implementação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), terem notado que ainda sobrevivem, no sistema de abrigos para crianças e adolescentes, "raízes de uma cultura de assistencialismo dos tempos do antigo Código de Menores. O desafio do trabalho atual é romper cada vez mais com estas raízes, uma vez que já houve considerável mudança em relação à época anterior ao ECA". Conforme ela, houve redução, por exemplo, no número de crianças e adolescentes abrigados. "Este é um fator extremamente positivo. Porém, precisamos manter o foco na qualidade do atendimento dos abrigos e na atitude dos profissionais diante dos abrigados e de suas famílias. Este levantamento nos ajuda a identificar quais abrigos desenvolvem ações inadequadas aos preceitos do ECA e que podem mudar sua forma de trabalho".

Entre os motivos para o abrigamento, constatou-se que 10,61% das crianças e dos adolescentes estão nos abrigos por motivos relacionados ao tráfico de drogas, saúde física dos pais ou deles próprios, dependência química dos pais ou dos própri@s filh@s e prisão dos pais. Este índice mostra que, por mais grave que sejam, estes problemas, não são os principais responsáveis pelo abrigamento das crianças. Contudo, do total de 1.981 crianças e adolescentes, 39,75% estão abrigadas por motivo de carência material de suas famílias. Isto significa, conforme análises dos dados, que a situação de pobreza enfrentada por essas famílias muitas vezes as leva, mesmo que contra a sua vontade, a deixar seus filhos nos abrigos.

Outro resultado mostra que a falta das políticas públicas em relação a emprego e rede de serviços favorece a desagregação familiar - gerando problemas como violência doméstica e ida das crianças e adolescentes para a rua - e é responsável pelo abrigamento de 38,37% d@s pesquisados. 

A pesquisa Reordenamento de Abrigos também levantou e analisou: o tempo de abrigamento, a situação do vínculo familiar das crianças e d@s adolescentes, sua orientação religiosa, as bases financeiras dos abrigos, os focos de inadequação ao ECA.


Mais informações: terradoshomens@terradoshomens.org.br.
www.terradoshomens.org.br

 

lerler
  • PROJETOS

    • Compartilhar Conhecimento: uma estratégia de fortalecimento das OSCs e de suas causas

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca