ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Plataforma MROSC
informes - ABONG

21221/11/2002 a 27/11/2002

1° de dezembro: Dia Mundial de Luta Contra a AIDS

Em 1987, a Assembléia Mundial de Saúde decidiu, com o apoio da ONU, transformar o 1º de dezembro no Dia Mundial de Luta Contra a Aids, com o objetivo de reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas soropositivas. No Brasil, a data foi adotada no ano seguinte. A informação é da Associação Brasileira Interdisciplinar de Aids (Abia) que, desde 1986, contribui para o enfrentamento da epidemia de HIV/Aids, promovendo os direitos humanos, o controle social das políticas públicas, a produção de conhecimento e o acesso democrático a informações de prevenção e assistência ao HIV/AIDS no Brasil. 

Juan Carlos, assessor de projetos da Abia, considera que o Brasil vive um "novo momento" da epidemia. O descobrimento dos benefícios da terapia combinada e a distribuição gratuita para todas as pessoas soropositivas, que precisam de tratamento anti-retroviral, colocaram o país como exemplo para o mundo. "Mas temos que enfrentar novos desafios nas áreas da assistência e prevenção no sentido de aumentar a qualidade dos serviços prestados", avalia . 

Para Eduardo Luiz Barbosa, presidente do Fórum das ONGs/Aids do Estado de São Paulo e coordenador geral do Grupo de Incentivo à Vida (GIV), os programas governamentais brasileiros possuem características próprias, ou seja, cada Estado e cada município realiza seu trabalho de forma "mais ou menos eficiente". O Fórum atua desde de 1997, promovendo a discussão e a liberação das questões políticas em Aids no âmbito estadual. 

O Grupo de Apoio à Prevenção da Aids no Rio Grande do Sul tem investido suas ações nas instâncias de controle social. "Priorizamos a participação e atuação em Conselhos de Saúde, como forma de garantir políticas públicas eficazes, avanços e ampliar a fiscalização sobre os orçamentos", informa Liandro Lindner, diretor do Gapa/RS e Conselheiro do Conselho Estadual de Saúde do RS. "Ultimamente tivemos grandes avanços na questão do acesso ao trabalho do portador do HIV. Isto exigiu mobilização e muitos contatos", relata. 

O site do Gapa-RS informa que a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) foi reconhecida em meados de 1981, nos EUA, com a identificação de um número elevado de pacientes adultos do sexo masculino, homossexuais e moradores de São Francisco ou Nova York. Posteriormente, alguns casos, ocorridos nos últimos anos da década de 1970 foram identificados como tendo sido Aids. No Brasil, a Aids foi identificada pela primeira vez em 1982. Nos últimos anos, vêm ocorrendo importantes mudanças no perfil epidemiológico da Aids. Hoje, um grande aumento de casos por exposição heterossexual vem sendo observado e está ocorrendo uma feminização da epidemia. A exposição heterossexual representa a principal subcategoria de exposição em crescimento: em 1991, era de 21%; em 1996/97, passou a 55%.


Abia: (21) abia@abiaids.org.br - Fórum ONGs Aids: giv@giv.org.br 
Gapa/RS: www.gapars.com.br

lerler
  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca