ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • FIP
  • REDES

    • MCCE
informes - ABONG

1601°/11/2001 a 7/11/2001

Reunião da UNESCO avalia avanços em relação à educação

 

Investir em ensino fundamental para cumprir os compromissos assumidos com a comunidade internacional na área da educação é uma das conclusões da primeira reunião do grupo de Alto Nível do programa Educação para Todos, uma iniciativa da Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. O grupo tem como objetivo avaliar os compromissos políticos, a mobilização de recursos e a participação da sociedade civil e parcerias visando atingir as metas estabelecidas na Conferência Mundial de Educação, realizada em Dacar, no Senegal, em abril de 2000 (ver abaixo).


Reunidos em Paris, entre os dias 29 e 31 de outubro, 28 representantes de países, agências bilaterais e multilaterais e da sociedade civil falaram sobre os avanços realizados, a atuação das agências bilaterais e multilaterais e o processo de monitoramento dos compromissos assumidos. Da sociedade civil, participaram apenas cinco organizações com direito à voz: Abong, Education International, Fawe (Fórum d´Education por les Femmes Africaines), Marcha Global contra o Trabalho Infantil e Oxfam International.


Prioridades

A declaração final da reunião destaca como questões mais urgentes: as disparidades de gênero, a negligência em relação aos grupos vulneráveis e em desvantagens, como portadores de deficiências; o alto número de analfabetos; a necessidade de compreensão e aceitação da diversidade; a debilidade dos sistemas educacionais e instituições em relação à epidemia de HIV/Aids e a situação nos países em emergência, crise, pós-guerra e risco. Também definiram como urgente a necessidade de definir a qualidade educacional, seu conteúdo e resultados. De todos os países em desenvolvimento presentes, Cuba foi o único que já cumpriu todas as metas estabelecidas.

A declaração também ressalta que os acontecimentos de 11 de setembro de 2001 "enfatizaram a importância da educação básica universal de boa qualidade como essencial, se não suficiente, condição para um mundo mais saudável, democrático e tolerante". 

O presidente da Abong, Sérgio Haddad, falando em plenário, apontou como um dos obstáculos que se apresenta no âmbito da cooperação internacional é que suas políticas, ao mesmo tempo, defendem os direitos e impedem que eles se realizem. "Se por um lado, organismos internacionais e sua cooperação defendem os direitos de cidadania da educação, por outro, programas de ajuste estrutural financiados e apoiados por estes organismos, empurram os países pobres a condições de não poder realizá-los". 

Haddad também destacou que não se constrói democracia educacional sem democracia social. "Nos anos 90, a América Latina apresentou crescentes índices de concentração de renda, aumento da pobreza e aumento do desemprego. Não se pode separar o direito à educação do direito ao desenvolvimento".

Em relação aos recursos financeiros externos, Haddad destacou que novos recursos significam aumento nas dívidas dos países do "terceiro mundo". "Sem um equacionamento desta dívida, os recursos internacionais criarão mais dificuldades para os países realizarem dentro dos seus orçamentos os compromissos com a educação. Sem uma ação efetiva, em destruir as barreiras ao desenvolvimento dos países mais pobres não será possível construir a paz e a justiça social".

 

As metas de Dacar

Realizada em abril de 2000, a Conferência Mundial de Educação estabeleceu metas prioritárias para a educação até 2015. Entretanto, não assumiu compromissos em relação a valores: a proposta das ONGs era a de que os países adotassem a meta de investimento de 6% do PIB em educação, mas não foi aprovada. Veja a lista das metas definidas:


* expandir e melhorar o cuidado e a educação da criança pequena, especialmente para as crianças mais vulneráveis e em maior desvantagem;


* assegurar que todas as crianças, com ênfase especial nas meninas e nas crianças em circunstâncias difíceis e pertencentes a minorias étnicas, tenham acesso à educação primária, obrigatória, gratuita e de boa qualidade até o ano 2015;


* assegurar que as necessidades de aprendizagem de todos os jovens e adultos sejam atendidas pelo acesso eqüitativo à aprendizagem apropriada e à habilidades para a vida;


* alcançar uma melhoria de 50% nos níveis de alfabetização de adultos até 2015, especialmente para as mulheres, e acesso eqüitativo à educação básica e continuada para todos os adultos;


* eliminar disparidades de gênero na educação primária e secundária até 2005 e alcançar a igualdade de gênero na educação até 2015, com enfoque na garantia ao acesso e o desempenho pleno e eqüitativo de meninas na educação básica de boa qualidade;

 

* melhorar todos os aspectos da qualidade da educação e assegurar excelência para todos, de forma a garantir a todos resultados reconhecidos e mensuráveis, especialmente na alfabetização, matemática e habilidades essenciais à vida.

 

lerler
  • PROJETOS

    • Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI)

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca