ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • ALOP
informes - ABONG

15420/09/2001 a 26/09/2001

ONGs no Timor Leste: o trabalho do Ibase

Reconstruir o que foi destruído em 24 anos de ocupação Indonésia e construir o que não existia: as estruturas de participação e interferência popular nas instâncias de poder legal a partir das necessidades e desejos dos próprios timorenses. Esse é um dos principais desafios do Timor Lorosa´e ou simplesmente Timor Leste, segundo Marcelo Carvalho da Silva assistente do projeto Ibase Timor Leste, coordenado por Regina Domingues. Auxiliar as ONGs locais na definição de estratégias de ação para a reconstrução democrática do país é um dos objetivos do projeto, desenvolvido desde maio deste ano.

A sociedade timorense tem se organizado principalmente em ONGs como meio de participar ativamente desse processo. Marcelo destaca que as ONGs timorenses foram responsáveis por projetos de educação para a cidadania e elegeram representantes para a Assembléia Constituinte. Agora, preparam-se para monitorar os trabalhos da Assembléia.

O Ibase parte das demandas das próprias ONGs timorenses com as quais estabeleceu parcerias para definir as linhas de atuação. De acordo com Marcelo, "os dois primeiros meses de nossa estadia no país foram justamente para descobrirmos as necessidades, ouvirmos as solicitações e formularmos as propostas de trabalho".


Projetos

O Ibase é a única ONG brasileira no Timor Leste, mas para desenvolver os projetos, a organização convida especialistas de diversas outras ONGs brasileiras. Em julho e agosto, as atividades se concentraram nos grupos de rádio-comunitária espalhados pelo país. Nesses dois meses, foram realizadas oficinas, consultorias e a produção de programas radiofônicos com a radialista Tais Ladeira.

O Ibase já começou também um trabalho com ONGs de mulheres, coordenado por Magaly Pazzelo (Ibase) como facilitadora. "Neste momento, Gilda Cabral, do CFEMEA, desenvolve uma oficina para o monitoramento da Constituinte", destaca Marcelo. Durante as eleições para a Assembléia Constituinte, realizadas no final de agosto, o Ibase organizou a ida de três observadores, Orlando Junior (Fase-RJ), Iara Pietricovscky de Oliveira (Inesc) e Moema Miranda (Ibase).


Transição

O Timor está sendo administrado provisoriamente pela Autoridade Transicional das Nações Unidas para o Timor Leste (Untaet), responsável por garantir a governabilidade até que um governo legitimado pelo voto assuma o país. "Quem deve administrar e governar o país são os próprios timorenses, que desejaram e conquistaram a independência", explica Marcelo, que ressalta também a seriedade com que eles encararam as eleições, comparecendo em massa e evitando confrontos.

As iniciativas com rádios comunitárias desenvolvidas no Timor Leste poderão ser conhecidas em palestra com Taís Ladeira, que acontece no dia 21, às 19h, na UNIRR (rua Francisco Serrador, 90, sala 301, Centro).
Ibase - www.ibase.br E-mail: marcelos@oxfam.org.tp

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca