ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política
informes - ABONG

90maio de 2000

Sociedade civil organizada sofre repressão

Os últimos dois meses foram marcados por fatos que agridem a integridade física e procuram difamar o trabalho de organizações da sociedade civil.


Violência Física

Em Porto Seguro - BA, nas "comemorações" dos 500 anos da chegada dos europeus ao Brasil, a tropa de choque reprimiu violentamente povos indígenas e organizações da sociedade civil que integravam o Movimento Brasil: Outros 500. O mesmo ocorreu com os servidores público estaduais e os metroviários, em São Paulo, no último dia 18; e com integrantes do MST em vários Estados brasileiros, principalmente no Paraná no último dia 2.


Censura

O governo Fernando Henrique Cardoso, por meio do secretário de comunicação, ministro Andrea Matarazzo, proibiu as TVs Educativas de transmitirem entrevista de João Pedro Stédile, dirigente do MST, concedida à TV Cultura de São Paulo. No último dia 10, a proposta de modificação do Código Florestal, feita pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente - Conama, amplamente discutida por vários segmentos da sociedade, foi ignorada pela comissão parlamentar mista do Congresso Nacional, enquanto o projeto do relator, deputado Moacir Micheletto (PMDB/PR), foi aceito, em troca da aprovação do salário mínimo de R$ 151,00. O posterior cancelamento do projeto Micheletto, ocorrido no dia 17, não diminui a gravidade do episódio, que demonstrou mais uma vez o desprezo do governo pelas organizações da sociedade civil.


Difamação

Agora foi a vez das ONGs , que trabalham com povos indígenas, serem acusadas pelo Ministro da Defesa Geraldo Quintão, de estarem desperdiçando recursos internacionais.


Diante deste quadro de truculência, e em especial diante da séria acusação do Ministro Geraldo Quintão contra as ONGs amazonenses, o presidente da ABONG, Sérgio Haddad, torna público o repúdio a estas atitudes e solicita ao ministro que comprove suas acusações ou se retrate publicamente. Veja a seguir a íntegra da carta, também disponibilizada no site da ABONG (www.abong.org.br).

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca