ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política
informes - ABONG

77fevereiro de 2000

Troca solidária é alternativa ao mercado formal de consumo

Desde o ano passado, o Instituto de Políticas Econômicas para o Cone Sul - PACS/RJ vem animando a Rede de Trocas Solidárias do Rio de Janeiro. A Rede, uma das iniciativas do Pólo de Socioeconomia Solidária - PSES, tem por objetivo estimular o funcionamento de um mercado baseado na solidariedade e na troca de produtos e serviços.

Criado em meados do ano passado, a Rede conta hoje com 60 integrantes que utilizam, a fim de facilitar os negócios, a moeda Tupi, e seus centavos, o Tupi-mirin. Cada moeda pode ser usada em até 10 operações na Rede.

As transações seguem o princípio das trocas. Os produtos e/ou serviços oferecidos são inscritos em um cadastro geral, com seu valor convertido em Tupis. A partir daí são feitas as transações de acordo com as necessidades pessoais. Os Tupis são expedidos pelo Banco da Economia Solidária, que também controla a contabilidade da Rede. De acordo com Marcos Arruda, do PACS, o objetivo é que em todo o País sejam criadas diversas redes similares, que atuem de forma descentralizada e com suas próprias regras de funcionamento. "A idéia é criar uma nova economia dentro da velha", explica.

Embora ainda pouco divulgada no Brasil, a experiência da Rede de Trocas vem apresentando resultados interessantes em países como a França, Inglaterra, Canadá, Estados Unidos, Argentina e outros. Na Argentina, por exemplo, o primeiro "clube" de trocas foi formado em 1995, com a participação de 20 pessoas.

Atualmente, existem mais de 200 desses organismos, atuando em 15 províncias, e estima-se que as transações atinjam a vida de 120 mil pessoas em todo o País.

Para cadastrar-se na Rede Rio de Janeiro, ou obter mais informações para a criação de outras redes, entrar em contato com Robson, no PACS, pelo telefone: (21) 252-0366/252-9601;


Fax: (21) 232-6306; E.mail: pacs@alternex.com.br Site: www.alternex.com.br/~pacs


Socioeconomia solidária

O Pólo de Socioeconomia Solidária - PSES é um dos grupos temáticos da "Aliança por um mundo responsável e solidário", rede integrada por pessoas de todo o mundo, que se propõem a elaborar e praticar ações que promovam a convivência social baseada em princípios éticos e de solidariedade. Os outros grupos temáticos da Aliança são: "Valores-arte-ciência-educação"; "Governança e cidadania"; e "Humanidade e biosfera".

O PSES é definido como "um espaço de troca de reflexões e de experiências, e de iniciativas de ações coletivas que se propõem trazer respostas inovadoras aos desafios socioeconômicos". As reflexões vêm sendo desenvolvidas a partir dos temas: trabalho, emprego e atividade; empresa, poder e ética; produção e investimento; consumo; política fiscal, redistribuição e seguridade social; moeda, poupança e finanças; comércio global, competição e cooperação; crescimento e desenvolvimento sustentável; políticas econômicas, ideologias e dimensão geocultural; e solidariedade e formas de intercâmbio, do local ao global".

Os interessados em participar das reflexões produzidas pelo PSES devem entrar em contato com Sandra Quintela: sandraq@ax.apc.org ou Marcos Arruda: pacs@ax.apc.org


Aliança por um Mundo Responsável e Solidário - www.echo.org

lerler
  • PROJETOS

    • FIP - Fórum Internacional das Plataformas Nacionais de ONGs

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca