ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • TTF Brasil
informes - ABONG

68novembro de 1999

MSF organiza exposição sobre os povos indígenas do Brasil

A ONG Médicos Sem Fronteiras está realizando, desde setembro, a exposição cultural “Índios 2000”, uma homenagem à população indígena para marcar os 500 anos da chegada dos europeus ao País.


A exposição tem fotografias de Sebastião Salgado, poemas de Thiago de Mello, pinturas de Claudio Andrade e está sendo apresentada desde setembro, quando foi lançada em Manaus, já tendo passado também por Tefé. Até 14 de novembro, “Índios 2000” pode ser vista em Boa Vista, seguindo depois para Paratins (19 a 30/11), Santarém (3 a 19/12), Belém (7 a 25/1), Salvador (28/1 a 23/2), Brasília (25/2 a 21/3), Rio de Janeiro (24/3 a 15/4), São Paulo (19/4 a 23/5), Vitória (26/5 a 20/6), Curitiba (23/6 a 18/7) e Porto Alegre (20/7 a 20/8).


MSF em Manaus

Criada na França em 1971, a ONG que recebeu o Prêmio Nobel da Paz este ano, chegou ao Brasil em 1991, quando sua seção holandesa de MSF veio para combater uma epidemia de cólera entre populações indígenas na fronteira entre Amazonas e Colômbia.


O aumento de casos de malária em decorrência do garimpo, fez com que a ONG estendesse sua atuação a Roraima, junto aos Yanomami. Em 1994, outros grupos passaram a ser atendidos, como os Macuxi, Wapixana, Ingariko, Tuarepang, Patamonoa e Wai-wai.


A partir deste trabalho na região,a ONG instalou definitivamente um sistema básico de saúde funcional, administrado pelos próprio indígenas. Na região do Vale do Javari, onde são formados Agentes Indígenas de Saúde (AIS) e Microscopistas Indígenas de Malária (MIM) entre as etnias Matis, Kanamary, Kambeba, Kokama, Maku, Ticuna, Deni, Madija-Kulina, Mayuruna e Katukina.


No Rio, solidariedade e empenho pela cidadania

A seção belga de MSF iniciou seu trabalho no Rio de Janeiro em 1993, desenvolvendo atividades junto a organizações que trabalham com meninos de rua. No ano seguinte, a ONG passou a atuar também na comunidade de Vigário Geral, tentando melhorar as condições de saúde como forma de combater a exclusão social e a violência. Nesta perspectiva foi criado o Movimento Organizado de Gestão Comunitária – Mogec, em parceria com o governo municipal, que ainda hoje capacita moradores para gerenciar os projetos da comunidade.


A partir de 1995, MSF passou a desenvolver programas de prevenção à Aids e apoio às pessoas portadoras do HIV, através do Banco de Preservativos, instalado em 16 comunidades e de projetos de moradia, alimentação, geração de renda e escolaridade destinados a este grupo.


Um dos mais recentes projetos de MSF é o “Médicos Solidários”, um serviço que cadastra médicos que se propõem a atender voluntariamente em seu próprio consultório. Os pacientes são adultos e crianças que integram as comunidades ligadas à entidade. Até agosto deste ano, 60 médicos ofereciam seus serviços, possibilitando 750 consultas por mês.MSF/Amazônia – Fone: (92) 611-3583; Fax: (92) 663-4922; E-mail: msf@internext.com.br - MSF/Rio – Fone: (21) 516-7381; Fax: (21) 233-1880; E-mail: msfrio@br.homeshopping.com.br

lerler
  • PROJETOS

    • Compartilhar Conhecimento: uma estratégia de fortalecimento das OSCs e de suas causas

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca