ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • ALOP
informes - ABONG

12/02/2003

Marchas mostram lutas de movimentos e ONGS

Como não podia deixar de ser, a Marcha de abertura do FSM, ocorrida no dia 23 de janeiro, reuniu movimentos, ONGs e grupos de várias partes do mundo. Uma Marcha da Diversidade Contra a Guerra saiu do Acampamento Intercontinental da Juventude em direção ao Largo Glênio Peres.A concentração dos tambores e vozes deu-se a partir das 15h, em frente ao Bar Naval do Mercado Público Municipal, e tod@s se encontraram no Largo do Glênio Peres, em frente ao Mercado Público Municipal, aproximadamente às 17 horas. De acordo com as estimativas da polícia militar, mais de 70 mil pessoas se juntaram à marcha, que percorreu várias ruas do centro de Porto Alegre.O Anfiteatro do Pôr-do-Sol foi o ponto de chegada e, à noite, palco dos primeiros shows ocorridos no Fórum. 

A Marcha Mundial das Mulheres encabeçou a caminhada de abertura do FMS, passando as ruas do trajeto com estandartes em prol do feminismo, da liberdade, da autonomia, da fantasia, do movimento... E apesar das lutas e reivindicações específicas de cada grupo, organização e movimento presentes, as vozes proclamavam como lema do evento um uníssono não à guerra dos Estados Unidos contra o Iraque - e o seu propositor, o presidente dos Estados Unidos George Bush - , não à militarização, à Área de Livre Comércio das Américas (Alca), ao Fundo Monetário Internacional (FMI), ao imperialismo norte-americano, ao neoliberalismo. Vale notar que grupos de norte-americanos, bem como palestrantes que participaram de atividades no Fórum, enfatizaram sua posição antiguerra. 

Por outro lado, no dia 27 de janeiro, como despedida do FSM, milhares de pessoas participaram da Marcha contra a Alca e contra a Guerra e pela Paz, que saiu do Ginásio Gigantinho, após a concorrida conferência Como enfrentar o império, da qual participou o lingüista norte-americano Noam Chomsky. O ato final aconteceu no Largo Epatur, com a presença de membros do Comitê Organizador do FSM e de delegações como as do Iraque, México, Estados Unidos, Índia, Europa, África. No dia 28, o Comitê Organizador convocou a imprensa e realizou uma entrevista coletiva aberta ao público, na PUC, quando fez uma análise geral do III FSM. A organização divulgou, também, um balanço das atividades ocorridas nos cinco dias de Fórum Social Mundial. 

Para Sérgio Haddad, presidente da Abong e membro do CO e do CI, "mais uma vez, as ONGs nacionais e internacionais mostraram presença muito marcante no FSM, não só pelas apresentações de seus representantes em várias mesas e painéis, mas também pelas diversas oficinas realizadas, nas quais puderam ser vistas a vitalidade e a credibilidade que as organizações não-governamentais têm como atores importantes da sociedade civil, em particular na lógica de reforçar a idéia de um novo mundo sem desigualdades, respeitando e valorizando as diversidades. As ONGs também tiveram um papel importante em dois outros aspectos: na temática ambiental, como tradicionalmente vem ocorrendo, as ONGs têm um papel protagonista em pensar o desenvolvimento sustentável; e no tema cultural, espelhado em diversas oficinas e na participação geral. Esta foi uma novidade no Fórum: a cultura não esteve no FSM apenas como um campo de representações culturais, mas como um campo de debate." 

Haddad relembra que a questão da paz foi o tema geral que recortou o FSM, para o qual as ONGs contribuíram, junto com os movimentos sociais e os sindicatos, tanto na marcha quanto nos debates. "E esta luta permanente, freqüente e intensa contra a irracionalidade que é a guerra, como solução para conflitos".


Dia Mundial Pela Paz, Contra a Guerra

Movimentos sociais, ONGs, redes e fóruns consolidaram outro dos aspectos marcantes do terceiro Fórum Mundial Social: por consenso geral, decretou-se o dia 15 de fevereiro como o Dia Mundial Contra a Guerra no Iraque. A partir do dia 14, muitas manifestações ocorrerão em diversas partes do mundo. 

No Brasil, todos os Comitês Estaduais contra a Alca (veja os contatos no site www.jubileubrasil.org.br) realizarão atividades locais. Em São Paulo, será organizada uma grande marcha, com concentração no Masp, às 16h do dia 15, e passeata rumo ao parque do Ibirapuera. Mais informações pelo telefone (11) 3105-2516, com Guillermo, ou pelo e-mail plebiscitoalca@ig.com.br

No site do FSM, podem ser encontrados endereços de sites de mobilizações nacionais e internacionais contra a guerra, bem como textos contra a guerra imperialista, de Eduardo Galeano, Gladys Marin, Gabriel García Márquez e da Alianza de Intelectuales Antiimperialistas.


Comitê Organizador do III Fórum Social Mundial

Abong - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais: 
E-mail: abong@uol.com.br Site: www.abong.org.br

ATTAC - Ação pela Tributação das Transações Financeiras em Apoio aos Cidadãos: 
E-mail: attacsaopaulo@attac.org Site: www.attac.org 

CBJP - Comissão Brasileira Justiça e Paz, da CNBB: 
E-mail: cbjp@cbjp.org.br Site: www.cbjp.org.br 

Cives - Associação Brasileira de Empresários pela Cidadania: 
E-mail: cives@cives.com.br Site: www.cives.com.br 

CUT - Central Única dos Trabalhadores: 
E-mail: cut@cut.org.br Site: www.cut.org.br 

IBASE - Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas: 
E-mail: ibase@ibase.br Site: www.ibase.br

MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra: 
E-mail: scgeral@uol.com.br Site: www.mst.org.br

Rede Social de Justiça e Direitos Humanos: 
E-mail: rede@social.org.br Site: www.social.org.br

lerler
  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca