ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • Beyond
informes - ABONG

5/07/2005 a 11/07/2005

Quilombolas pedem urgência na regularização de terras

Ter atenção às suas reivindicações não tem sido fácil para o movimento quilombola. Este problema é salientado por uma conhecida liderança quilombola da Comunidade de Conceição das Criolas e vereadora (PT) da cidade de Salgueiro (PE), Givânia Maria da Silva. "O que nós aportamos no nosso relatório sobre a sistemática da Conferência é a reafirmação da necessidade de o governo não adiar mais as ações de regularização e titulação das terras de quilombo, porque esta é a principal questão para nós, quilombolas", contou.

Conforme Givânia, hoje, somente em Pernambuco, estão identificadas mais de 60 comunidades quilombolas; no país, estima-se que existam 1.800 comunidades, mas os(as) quilombolas consideram que existem de 4 a 5 mil comunidades espalhadas por todo o território nacional. No caso de Conceição das Crioulas, é uma comunidade reconhecida, titulada em 2002, mas onde não foi feito o processo de desintrusão dos posseiros, fazendeiros que estão no do território. Por isso, é uma comunidade que tem e vive em conflitos. "Eu e várias outras lideranças temos sofrido ameaças de morte por conta deste choque de interesses", denunciou. 

Givânia considerou que a 1a Conapir trouxe duas lições: primeira, por ser a primeira conferência no Brasil com o tema Estado e sociedade promovendo a igualdade racial. Segunda, porque seu objetivo era colocar dentro da plenária todas as pessoas excluídas da sociedade. 

"Minha avaliação, hoje, é que a Conferência é um marco. Mas é evidente de que poderia ter sido mais produtiva. Por outro lado, entendo que a Conferência, com a diversidade que teve, tinha como tendência realmente ter alguns problemas, inclusive a ausência de alguns debates."

lerler
  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca