ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Plebiscito Constituinte
informes - ABONG

46025/03/2010 a 6/04/2010

OPINIÃO: ABONG e os Desafios para o próximo triênio

Nos dias 18 e 19 de março, a ABONG realizou, com a presença de 72 associadas, sua Assembléia Geral. Foram dois dias de intensos debates, cujo objetivo principal foi apontar os rumos da Associação para os próximos três anos.

 

Divididos(as) em grupos de trabalho e reunidos(as) em plenária, os(as) representantes das associadas discutiram questões relacionadas à conjuntura mundial e nacional, o novo papel do Brasil na geopolítica mundial, as conseqüências deste papel na América Latina e na sociedade brasileira. Diante disso, os grupos indicaram os desafios e processos para aprofundar o papel da ABONG nessa nova conjuntura, refletindo sobre seus objetivos para o próximo período, seu projeto político e a definição de suas alianças estratégicas, além de debater sua estrutura e organização interna, Todo esse debate foi subsidiado por textos de reflexão e por debates preparatórios realizados nas regionais.

 

Em relação à identidade, foram colocados pela Assembleia alguns pressupostos que definem a linha de atuação da ABONG e posicionam a entidade dentro de um campo político, o de organizações que lutam por direitos e transformações estruturais. A defesa de um modelo de desenvolvimento que leve em consideração a questão sócio ambiental e seja realmente sustentável, algo distinto do que está colocado hoje para a sociedade brasileira, o fortalecimento e a intensificação da democracia, a manutenção dos direitos conquistados e sua ampliação, e a luta contra qualquer forma de desigualdade e discriminação, respeitando a diversidade humana, estão entre esses pressupostos.

 

Os debates sobre a conjuntura e o campo político do qual a ABONG faz parte, o espaço que a Associação ocupa dentro dele e seu projeto político apontaram o caminho e as prioridades que devem ser seguidas nos próximos anos, visando fortalecê-la enquanto sujeito político. Para isso, algumas estratégias foram indicadas: a ampliação da discussão e defesa de um marco legal para as ONGs, o fortalecimento da base associativa e sua relação com a organização, o diálogo com a cooperação internacional, a construção de novas experiências em relação à estrutura da ABONG e a dinamização de outras formas de comunicação interna e externa.

 

A questão da comunicação também entra como prioridade para a atuação da entidade, sendo muito citada durante as falas. Seu papel político estratégico ficou claro para o conjunto da base associativa, de reforçar o diálogo entre as associadas e regionais, assim como com a sociedade. Além de fortalecer seu próprios canais de interlocução, procurando dar visibilidade às suas ações para que estas não sejam veiculadas de uma forma criminalizante e deslegitimadora pela mídia conservadora, a Associação deve abraçar a luta pela democratização dos meios de comunicação, ocupar espaços nos canais públicos e estreitar alianças com as organizações que atuam nessa área.

 

A Assembleia colocou também a necessidade da ABONG fortalecer alianças com movimentos sociais, redes e demais organizações que atuam em uma perspectiva contra-hegemônica, para radicalizar a democracia e construir novos paradigmas de desenvolvimento, que garantam a justiça socioambiental e a desmercantilização da vida. Neste sentido, destacou-se a importância de participar de processos como o Fórum Social Mundial, a Assembleia Popular, e a Plataforma dos Movimentos Sociais e ONGs pela Reforma do Sistema Político. Foi colocada também a demanda por aproximação com as lutas latinoamericanas e africanas, com as organizações LGBT, antirracistas e anti-sexistas, com os movimentos negros e de mulheres.  Os exemplos mais recentes de tentativas de criminalização de movimentos sociais e organizações populares, e criminalização da pobreza de forma geral, também entraram na pauta, sendo colocada a urgência em combater a ofensiva conservadora responsável por esses processos.

 

Além do debate das questões colocadas acima, a Assembleia Geral revisou e aprovou a Carta de Princípios da entidade, elegeu suas diretorias regionais e executiva para o triênio 2010-2012 e seus conselhos fiscal e de ética. A composição integral da diretoria, dos conselhos, e a carta estão disponíveis na página da ABONG na internet: www.abong.org.br.

lerler
  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca