ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Petrobras
  • REDES

    • Action2015
informes - ABONG

51002/05/2013 a 06/06/2013

Esplar lança DVD e cartilha sobre Copa do Mundo e violência contra a mulher

Com o objetivo de pautar a questão da violência e exploração sexual de mulheres em contexto de megaeventos, o Esplar - Centro de Pesquisa e Assessoria lançou neste mês o DVD “Copa 2014 – O que as mulheres têm a ver com isso?”, que é acompanhado por uma cartilha. O material contextualiza a realização da Copa do Mundo como processo que tem acentuado problemas já existentes nas cidades brasileiras, tais como as desigualdades sociais, com geração de riqueza para os mais ricos e de maior exclusão social para as pessoas que vivem em situação de pobreza. Dado que a violência tende a atingir, mais intensamente, as mulheres, brancas e negras, pela exploração do trabalho e pelo aumento da exploração sexual e intensificação da prostituição, o material enfoca tais questões. “Chamou a atenção que a questão da exploração e tráfico de mulheres nos megaeventos não estava colocada no Comitê Popular de Fortaleza, que vinha trabalhando mais com o tema das remoções. Isso é fundamental, mas até as remoções trazem conseqüências de violência para vida das mulheres”, explica Magnólia Said, advogada e técnica do Esplar.

 

Outra decorrência da realização de eventos como a Copa do Mundo é o aumento da exploração sexual e tráfico de mulheres, como já observado na África do Sul, em 2010, e na Alemanha, em 2006. “Na África do Sul, as mulheres foram profundamente maltratadas pela polícia e a exploração sexual aumentou. Devemos colocar isso não só nos comitês populares, mas para toda a sociedade, pela forma como estão sendo tratadas as questões na cidade e em especial em relação às mulheres”, afirma Magnólia.

 

O vídeo foi gravado em três das doze cidades-sede: Fortaleza, Natal e Salvador. A proposta é alertar para os riscos e informar a quem as mulheres vítimas de violência podem recorrer. “Existem estruturas de proteção às mulheres. Não estão adequadas para a questão específica e para proteger de fato, mas é preciso cobrar sua efetivação. O vídeo e o boletim trazem esses elementos”. Magnólia conta que em Natal os equipamentos públicos de proteção são quase inexistentes, e em Fortaleza há apenas duas delegacias da mulher.

 

Todas as pessoas interessadas em receber DVD e Informativo podem fazer o pedido ao Esplar pelo e-mail esplar@esplar.org.br. O material é gratuito, e pode também ser acessado pelos links abaixo. “Cabe destacar que o vídeo não tem perfil institucional, é para fazer debate e aprofundar a reflexão. Recomendamos às pessoas que façam rodas de conversa e levem para áreas onde a exploração está mais concentrada”, completa Magnólia.

 

Para assistir o vídeo, acesse aqui.

Para fazer o download da cartilha, acesse aqui.

 

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca