ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • Beyond
informes - ABONG

51705/12/2013 a 06/02/2014

Abaixo a Ditadura Financeira! Taxa sobre Transações Financeiras! Por uma Democracia Econômica!

Por Amanda Proetti

 

O título acima reproduz as palavras de ordem da Campanha TTF Brasil, uma mobilização cujo objetivo é questionar a “ditadura financeira”, informando a população sobre seus mecanismos e efeitos e buscando alternativas para superá-la.

 

O alvo da campanha é criar uma taxa sobre as transações financeiras (TTF) internacionais - inclusive as que envolvem câmbio de moedas, ações e derivativos em mercados de especulação. E essa meta tem uma enorme importância prática e simbólica, pois mesmo com alíquotas para a TTF menores que 1%, elas incidirão sobre um volume grande de recursos já que os mercados financeiros giram trilhões de dólares por dia.

 

Segundo o Banco de Compensações Internacionais, o mercado financeiro mundial movimenta setenta vezes mais valor monetário do que a soma de todo produto interno bruto (PIB) global - a soma do PIB de todos os países. Como mostra a ONG Justiça Fiscal e Auditoria da Dívida, o Brasil usa seis vezes mais recursos para alimentar a dívida pública do que na Saúde, e onze vezes mais do que na educação.

 

O valor arrecadado pela taxação chegaria a algumas dezenas de bilhões de dólares ao ano – o suficiente para enfrentar problemas de enorme relevância, que por sua natureza só podem ser resolvidos por meio de ações planetárias: a superação da epidemia de AIDS, das desigualdades de gênero, do aquecimento global; a erradicação da pobreza e a promoção da justiça social são apenas alguns exemplos. “A campanha questiona a desregulamentação do sistema financeiro e promove a justiça fiscal em prol dos direitos sociais e da democracia econômica. Na esfera nacional, aponta o caráter regressivo do sistema tributário brasileiro e propõe que uma parcela do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) seja reservada ao financiamento de projetos inovadores de desenvolvimento social e ambiental. Articula-se aí com o novo marco civil das organizações sociais do país, conhecidas por sua atividade vibrante, mas, contraditoriamente, muitas vezes criminalizadas”, explica Alessandra Nilo, da Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero.

 

A TTF Brasil é fruto de uma coalizão de diversos atores sociais - organizações da sociedade civil e redes de cidadania e cooperação entre povos do país e da região -, agora reunida e re-arregimentada pela Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero -, que inclui ativistas que em 2004 advogaram pela causa no Brasil unidos com organizações que atuam em várias áreas como saúde, igualdade de gênero, justiça fiscal, cultura, comunicação, redes de ativistas LGBT e de relações internacionais.

 

Fazem parte da atual coalizão Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais - Abong, Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT, Gestos - Soropositividade, Comunicação e Gênero, Rede Nacional Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Fórum das ONGs Aids do Estado de São Paulo, Outras Palavras,  Instituto de Estudos Socioeconômicos – Inesc, Grupo Pela Vidda / SP, Iniciativas Medicamentos para Doenças Negligenciadas, Oxfam e Friedrich Ebert Stiftung. Esta é uma articulação política da sociedade civil organizada com o objetivo de estabelecer justiça social e democracia econômica para o desenvolvimento humano e ambiental sustentável.

 

Diversas redes internacionais de movimentos – entre elas, ATTAC, Robin Hood e Campanha ZeroZeroCinco, entre outras – assumiram esta proposta, que se difundiu rapidamente nos últimos anos. A TTF Brasil marca o avanço da agenda também no Brasil, onde há uma tradição importante de crítica ao sistema financeiro.

 

O que é TTF?

 

A globalização econômica, acelerada pela informação em rede, proporcionada pela infra-estrutura da Internet e pelas possibilidades da comunicação interativa, sedimentou a integração mundial do mercado financeiro. No entanto, e sobretudo por causa dela, a globalização econômica é baseada em mecanismos que, apesar de fomentar desenvolvimentos tecnológicos e de confortos, ampliam o contraste entre as pessoas que tem acesso às benesses e as que lutam para sobreviver como na baixa Idade Média, não apenas em crises agudíssimas como a atual fome coletiva no nordeste da África, mas no cotidiano arriscado das favelas urbanas, no trabalho escravo em fazendas do Texas, ou na luta por acesso universal a prevenção e tratamento ao HIV e à AIDS.


A implementação de Taxas sobre Transações Financeiras de apenas 0,05% no mercado de derivativos, por exemplo, traria em torno de 68 bilhões de dólares por ano para serem investidos no desenvolvimento humano como declarado nos oito Objetivos do Milênio, mas passando a ser como política pública não apenas como filantropia. “No plano internacional, a Campanha pretende vincular a ideia de TTFs à promoção de transparência das corporações e também  como mecanismo de financiamento dos objetivos estratégicos do desenvolvimento depois de 2015 e estamos explorando caminhos para articular parceiros em torno do debate sobre a criação de uma TTF na Unasul e nos BRICS, cuja próxima cúpula acontece ano que vem, no Brasil, informa Nilo.

 

A Campanha

 

A campanha TTF Brasil visa denunciar, em seus diversos aspectos, o que se identifica como “ditadura financeira”. Para tanto, a campanha será fundamentalmente informativa e propositiva em razão da crença da coalizão na força de suas ideias e dos fatos para quebrar duas das principais estratégias que a “ditadura financeira” maneja para manter seu poder e privilégios: a desinformação e os mitos. Assim, considera-se que apresentar de forma crítica dados reais sobre o sistema financeiro e a economia globalizada é provavelmente a melhor forma - e a mais democrática e transparente - de promover um tipo de mobilização que gere mudanças.

 

A campanha conta com algumas ferramentas: um Blog e uma página no Facebook, além de um boletim noticioso e analítico disseminado por e-mail.


Através do Blog da campanha e de sua página no Facebook todos/as podem ter acesso a todo material institucional da campanha, notícias atualizadas e análises, além dos elementos contidos na seção Biblioteca Virtual.


Opiniões, sugestões de pauta e críticas são muito bem-vindas. A TTF Brasil conta com a participação da sociedade civil nessa iniciativa por um outro mundo possível, um mundo com justiça social.

 

Participe!


Torne-se ativista contra a ditadura financeira!

Para participar da nossa campanha, a orientação é fazer visitas semanais ao Blog onde são publicadas as últimas notícias relacionadas às TTFs no Brasil e no mundo, além de notícias sobre justiça social e questões de política internacional e economia. Através do Blog, é possível se comunicar diretamente através da caixa de comentários. Outras formas de comunicação participação são:


• se inscrever para receber o boletim on-line da campanha;


• enviar nomes de parlamentares e gestores de qualquer área que podem apoiar a causa;


• ajudar a divulgar informações da campanha e as petições em sua rede social;


• contatar diretamente as entidades integrantes da coalizão para compartilhar idéias.



Campanha TTF Brasil

Blog: http://www.ttfbrasil.org/oque/

Facebook: https://www.facebook.com/ttfnobrasil

 

 

Com informações do Blog da Campanha TTF Brasil

lerler
  • PROJETOS

    • Compartilhar Conhecimento: uma estratégia de fortalecimento das OSCs e de suas causas

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca