ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • MCCE
informes - ABONG

52604/09/2014 a 02/10/2014

A violência obstétrica é crime e precisa ser combatida!

A violência obstétrica é denunciada pelo movimento feminista há décadas. Trata-se de uma violação dos direitos das mulheres, que afeta sua integridade física e psicológica, assim como pode por sua vida em risco. Tal violência acontece de diversas maneiras: quando um profissional de saúde se nega ou demora a realizar o atendimento; constrange, humilha ou ameaça a paciente; induz ou força a cesárea sem necessidade; impede a permanência do/da acompanhante da mulher; faz procedimentos invasivos desnecessários e sem anestesia; entre outras situações. Infelizmente, este tipo de violência contra a mulher é comum durante a gestação, o parto e em casos de abortamento.

Mesmo que tal violência seja injustificável, ela tem suas motivações: desinformação, despreparo dos profissionais envolvidos, preconceito, misoginia, ou até a influência de visões fundamentalistas religiosas que afetam a liberdade, saúde e direito sexuais e reprodutivos das mulheres.

Mulheres que sofreram ou têm conhecimento sobre este tipo de violência podem fazer sua denúncia no Mapa da Violência Obstétrica. O Mapa foi criado por uma vítima e está sendo administrado pela ONG Artemis. Criada em 2013, a Artemis tem o objetivo de “prevenir e erradicar a violência obstétrica” no Brasil, contribuindo com a criação de políticas públicas e sensibilizando a sociedade.

Segundo a presidenta da ONG, Raquel Marques, as denúncias relatadas no site serão utilizadas em audiências públicas sobre o tema, além disso, são uma referência para pesquisadores, jornalistas e para as próprias mulheres que precisam de apoio para fazer suas denúncias.

Para conhecer o Mapa da Violência Obstétrica, clique aqui.

Outra referência importante sobre o tema é o folder produzido pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Para ler o material clique aqui!


Fonte: Católicas pelo Direito de Decidir

lerler
  • PROJETOS

    • Agenda 2030

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca