ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fastenopfer
  • REDES

    • Fórum Social Mundial
informes - ABONG

54801/09/2016

Abong reúne associadas e debate atuação internacional

Encontro em Brasília buscou definir espaços de atuação e iniciar discussão sobre alinhamento da incidência internacional da Associação


No dia 29 de agosto, as associadas da Abong que possuem atuação internacional se reuniram na sede do Inesc, em Brasília, para trocar experiências, socializar a avaliação sobre o atual cenário e refletir sobre o papel da Abong. O principal objetivo foi definir os espaços estratégicos a serem ocupados pela associação e identificar pontos comuns de incidência, de forma a alinhar a atuação internacional da Abong.


Iara Petrovisky, diretora executiva da Abong, destacou na abertura do encontro que a reunião buscava dar resposta aos apontamentos da Assembléia Geral de 2016, que elegeu a atual diretoria e as prioridades para o próximo triênio, de que existe a urgência de alinhamento da estratégia internacional de atuação da Abong e de agir coletivamente enquanto associação.


Estiveram presentes representantes da Action Aid, Agenda Pública, Camp, Ceap, Elo,Fase, Geledes, Gestos, Ibase, Inesc, ISA, Mirim Brasil, SOS Corpo, Vida Brasil e Visão Mundial. As organizações mapearam conjuntamente os espaços internacionais em que atuam. A Abong, por sua vez, apresentou seus espaços de atuação internacional vinculando-os com as prioridades do atual triênio(2016-2019): Promoção de novos paradigmas de organização social rumo ao bem viver; Atuação pela radicalização da democracia; e Promoção de ambiente favorável à atuação das Organizações da Sociedade Civil, incluindo o fortalecimento da sua base associativa.

 

Os/as diretores/as que atuaram no triênio anterior ou estão atualmente fazendo a representação em espaços como o Fórum Social Mundial – FSM, Mesa de Articulación, Fórum Internacional de Plataformas – FIP, Civicus  e em relação ao processo de articulação em torno dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS/Agenda 2030 destacaram as contribuições específicas da Abong, identificando os desafios colocados para esta atuação.

 

Também foram discutidos critérios para que a Abong esteja em um espaço internacional e os instrumentos ou dinâmicas para alinhar a atuação da Abong e de suas associadas, lidando com as divergências e respeitando a autonomia das organizações. Um ponto importante de convergência no debate foi de a Abong colocar energia em participar e construir processos que ela possa de fato influenciar e não ser conduzida em processos que não apresentam reais possibilidades de intervenção e mudança efetiva de rumos.

 

Conjuntura desafiadora

Mauri Cruz, diretor executivo da associação, destacou a  importância, diante da gravidade da atual conjuntura, de a Abong se colocar enquanto sujeito coletivo nacional e de construir posicionamentos políticos.

 

Dois temas de destaque no debate foram os ODS e o Fórum Social Mundial. A reunião apontou a necessidade de novas conversas sobre o tema para poder apontar recomendações para o Conselho Diretor (CD), que se reúne em novembro, em Salvador.

 

Outro ponto citado foi a necessidade de a Abong abrir um diálogo com a cooperação internacional sobre o atual momento político do país.

 

 

Nos debates ficou clara a percepção de que a combinação da conjuntura desafiadora dos dias atuais com o processo de reconfiguração do campo que vem ocorrendo torna muito valiosos os espaços de conversa e de discussão sobre os caminhos a serem tomados. Nesse sentido, a avaliação do encontro pelos/as participantes foi extremamente positiva. Foi valorizada a abertura de um espaço de aprofundamento dos debates sobre a atuação internacional, permitindo tratar das divergências e também caminhar em direção a pontos de convergência que unifiquem a Abong, potencializando sua atuação política e assim fortalecendo o campo das organizações na luta por direitos e em defesa dos bens comuns.

 

Damien Hazard, membro do Conselho Diretor destacou a importância desse debate franco e fraterno, mesmo que divergente, para construir novas narrativas que sejam fruto de convergências. Na mesma linha, Iara pontuou a necessidade de se criar narrativas desde a Abong em que as organizações associadas se sintam representadas e parte dessa construção. Em sua perspectiva, para isso ser possível é preciso continuar a conversa iniciada na reunião e levá-la para a base associativa.

 

PALAVRAS-CHAVE

lerler
  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca