ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Mesa de Articulación

Carta dos jovens pelo direito ao trabalho decente

31/10/2012

Fruto dos cinco dias de Capacitação sobre Políticas Públicas promovida pelo projeto Qualificar para Transformar, a “Carta aberta dos jovens pelo direito ao trabalho decente” traz reivindicações de jovens de Bacabeira, Rosário, Santa Rita e São Luís. A iniciativa busca estimular a participação juvenil na formulação das políticas de trabalho e renda. O projeto Qualificar para Transformar é coordenado pelo GACC-MA, com patrocínio da Petrobras. As proposições foram lidas durante o evento que entregou certificado de qualificação profissional a 320 jovens, no dia 23 outubro, em Bacabeira. Leia a íntegra da Carta.

 

CARTA ABERTA DOS JOVENS PELO DIREITO AO TRABALHO DECENTE

Nós, jovens de Bacabeira, Rosário, Santa Rita e São Luís, integrantes do Projeto Qualificar para Transformar , reunidos em assembleia, discutimos a realidade da juventude dos nossos municípios e concluímos que, para o seu desenvolvimento pleno, não basta apenas uma conquista individual – como a finalização de um curso profissionalizante –, é necessário lutar por políticas públicas que promovam o crescimento da juventude como um todo.

Atualmente, faltam oportunidades de formação e qualificação profissional para os jovens da região. Percebe-se que, em todos os níveis, as políticas públicas de Educação ainda não conseguiram atingir o nível de qualidade esperado. Além disso, os jovens enfrentam grandes dificuldades para conseguir um trabalho decente, que garanta os seus direitos, principalmente por não terem experiências profissionais anteriores. Essa falta de perspectiva de vida gera, muitas vezes, a desestruturação familiar, o início do uso de drogas, a baixa autoestima, a desesperança e até mesmo situações de violência.

Entendemos que os nossos municípios estão em um momento de forte desenvolvimento econômico, recebendo grandes empreendimentos e vivendo um aquecimento de sua economia. Acreditamos que é necessário, então, se preparar para oferecer mão de obra qualificada que atenda a demanda gerada por essas empresas, garantindo o aumento do nível de emprego para os jovens dos municípios e evitando que eles precisem deixar suas famílias em busca de trabalho em outros estados, se expondo, inclusive, a situações de trabalho escravo e outras explorações.

Sabemos da nossa responsabilidade, como jovens, pela transformação positiva da realidade das nossas cidades. Diante disso, reconhecemos a importância de um diálogo com os gestores municipais, sugerindo políticas públicas que atendam as nossas reais necessidades.

Propomos:
1.  Qualificar o sistema educacional, implantando metodologias de ensino mais eficazes, com finalidade de reforçar o aprendizado do aluno, através de recursos pedagógicos diversos, como vídeos educativos, e da formação continuada de professores. Estas estratégias podem resgatar o prazer do aluno em ir para a escola, ajudando-o na formação psicológica e auxiliando-o a compreender o que é ser um cidadão nos dias atuais;

2.  Construir e/ou melhorar os locais destinados à prática esportiva;

3.  Criar centro(s) profissionalizante(s) para os jovens de baixa renda, preferencialmente em parceria com o Sistema S, que ofereça cursos de curta e longa duração, definidos por meio de pesquisas realizadas junto aos jovens e ao mercado, e que possuam estrutura física ampla, confortável, arejada e equipamentos modernos e adequados;

4.  Criar o Programa Primeiro Emprego municipal, dando oportunidade aos jovens já capacitados a se inserir no mercado de trabalho;

5. Criar serviço de apoio técnico, jurídico e financeiro ao cooperativismo e empreendedorismo, reforçando as vocações produtivas de cada município;

6. Construir Espaços Jovens, com salas equipadas, biblioteca, telecentro e áreas esportivas e de lazer, para promover a cultura, facilitar a convivência, a troca de experiências e o acesso a informações, ajudando a população jovem a se desenvolver;

7. Implantar e/ou fortalecer uma Secretaria Municipal de Políticas para a Juventude;

8. Implantar e/ou fortalecer o Conselho Municipal de Juventudes para que possa incidir nas decisões, nas elaborações, nas implantações de projetos e políticas públicas da área, mudando a realidade da população, favorecendo o exercício da cidadania e a construção de um município mais democrático;

Solicitamos o seu compromisso com as proposta apresentadas, bem como o agendamento de audiências públicas semestrais com a juventude dos municípios, para discutir e acompanhar a implementação das propostas e de outras políticas que, acreditamos, serão criadas pela gestão municipal.

Bacabeira, 23 de outubro de 2012

Baixe o documento

 

Fonte: GACC-MA

 

 

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca