ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • ALOP

MAB lança carta de apoio aos trabalhadores da usina hidrelétrica de Santo Antônio

22/06/2010

Frente aos últimos acontecimentos, onde mais de cinco mil trabalhadores da hidrelétrica de Santo Antônio iniciaram uma revolta exigindo melhores salários e condições de trabalho, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) vem manifestar publicamente total apoio e disposição de ajudar na luta em defesa dos seus direitos e suas reivindicações.

 

Revolta dos trabalhadores da construção da Usina de Santo Antônio em Rondônia

 

A revolta iniciou-se na noite do dia 16 (quarta-feira) e prosseguiu nesta quinta-feira (17). Os trabalhadores afirmam que somente voltarão ao trabalho na segunda-feira. É provável que a morte de mais um trabalhador no início da semana, por falta de apoio médico no local e a agressão de um engenheiro contra um trabalhador sejam o estopim dos protestos. No início da manhã desta quinta-feira os trabalhadores se dirigiram em marcha até a Rodovia e bloquearam, com gritos e palavras de protestos contra as empresas donas da barragem.

 

Trabalhadores denunciam

Os trabalhadores estão denunciando e protestando contra vários problemas graves que

existem na Hidrelétrica de Santo Antônio. Os principais problemas são:

 

- Violência, espancamento e agressões de todo tipo contra os trabalhadores;

- Transporte ruim;

- Alojamentos sem condições de vida, sem ventilação, inclusive com falta de água;

- Não possuem horário de descanso nos intervalos;

- Os trabalhadores denunciam os baixos salários pagos pelas empresas;

- Mortes freqüentes de trabalhadores por acidentes de trabalho;

- Alimentação ruim;

- Falta de atendimento médico permanente e de qualidade, de ambulâncias, de médicos, de

UTI, de enfermarias, de remédios;

- As empresas não estão cumprindo vários acordos que os trabalhadores haviam conquistado

com as mobilizações do ano passado;

- Perseguição e violência da polícia contra os trabalhadores;

- Excesso e péssimas condições de trabalho e insalubridade.

 

Baixos salários

Esta situação dos trabalhadores é justamente o contrário do lucro que as empresas recebem com a venda da energia produzida pelas usinas. Enquanto o preço da luz é um verdadeiro roubo, enquanto os trabalhadores recebem baixos salários, enquanto os atingidos por barragens são expulsos sem receber seus direitos, os donos das hidrelétricas recebem milhões e milhões de lucro diariamente.

 

A Hidrelétrica de Santo Antônio vai ter um faturamento de R$ 200.000,00/Hora (duzentos mil) ou R$ 4,5 milhões por dia, durante os próximos 30 anos. Por fim, a revolta e os protestos dos trabalhadores é justa e legítima e o Movimento dos Atingidos por Barragens se coloca em total apoio aos trabalhadores e a disposição para ajudar na luta.

 

MAB pede apoio da sociedade

O MAB também pede o apoio dos bairros, das comunidades, das vilas, dos distritos e demais trabalhadores para que apóiem as reivindicações e os protestos dos trabalhadores da Hidrelétrica de Santo Antônio, porque é justa e legítima. Exigimos que a empresa negocie e atenda imediatamente todos as reivindicações. O MAB exige que as empresas donas da hidrelétrica de Santo Antônio (ODEBRECHT, ANDRADE GUTIERREZ, FURNAS, CEMIG E SANTANDER) atentam as reivindicações e resolvam os problemas dos trabalhadores imediatamente. São estas as principais responsáveis pela atual situação dos trabalhadores nesta usina.

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca