ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Comunidades se unem para arrecadar recursos a projetos sociais

23/11/2010

O Programa Ação para Crianças, desenvolvido desde 2007 em todo território nacional, tem conseguido estimular a formação de parcerias para o desenvolvimento de projetos sociais de garantia e promoção dos direitos de crianças e adolescentes. Em várias partes do Brasil, como São Paulo/SP, Niterói/RJ e Nova Conquista/BA, já é possível conhecer boas experiências de mobilização de recurso envolvendo grupos de voluntários, igrejas, empresas, organizações sociais e a população local no apoio a ações de educação, saúde, alimentação e cidadania. Com isso, o programa já beneficiou mais de 12 mil meninas e meninos em situação de vulnerabilidade social.

 

Realizado pela CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço, o Programa Ação para Crianças consiste em aplicar uma metodologia diferenciada de apoio a projetos sociais. O recurso somente é destinado aos projetos mediante a mobilização da comunidade em angariar metade do valor necessário ao desenvolvimento do projeto. Ao realizar uma ação de arrecadação de recursos, a CESE dobra o valor arrecadado e destina o valor integral à entidade que desenvolverá a ação. Foi o que aconteceu com uma série de projetos espalhados pelo Brasil. Além do aporte financeiro, a CESE apoia o projeto com materiais e com orientações que tomam como base os 37 anos de experiência que tem no apoio a movimentos sociais.

 

Um exemplo de projeto apoiado no Programa Ação Para Crianças é o Círculo Cultural, do Núcleo Cultural Sonho Jovem, de São Paulo. A equipe do projeto realizou uma Festa Julina e conseguiu arrecadar metade do valor necessário para o atendimento de crianças e adolescentes, de 6 a 15 anos, nas oficinas culturais, atividades educativas e aulas de informática básica. Encaminhou a proposta para a CESE e recebeu a outra metade necessária para a realização do projeto. A iniciativa vai beneficiar quase 5 mil jovens da Região de Fazenda da Juta, considerada umas das mais vulneráveis de São Paulo, Capital. “No ano em que o Estatuto da Criança e do Adolescente completa 20 anos, a ideia é desenvolver ações pontuais que contribuam para a não-violência e que propiciam a ampliação do universo cultural e do lazer”, declara Adriana Tiburcio da Silva, coordenadora do Projeto.

 

Outro exemplo é o projeto Sopão da Criança Forte. Com o projeto a Associação de Moradores de Nova Conquista/BA conseguiu a doação da comunidade, políticos, sindicatos, trabalhadores rurais, igrejas e amigos da região de Camamu, onde está localizada a Associação, para promover o Bingo Solidário, e também recebeu o apoio da CESE. “É a primeira instituição (CESE) que nos dá a esperança de fazer este e outros projetos. Nossa comunidade é muito pobre e sofre com o esquecimento político, sendo uma área que precisa de regulamentação. Isso coloca nossas crianças sempre em desvantagens nestas disputas”, ressalta Aloísio Cezar Nascimento Ribeiro, presidente da Associação de Nova Conquista. Agora cerca de 70 meninos e meninas que recebem alimentação no local, poderão circular pela entidade e ter o benefício garantido.

 

Já em Niterói/RJ, a comunidade do Morro do Preventório participou das duas ações de mobilização de recurso que o projeto Olho Vivo promoveu. A rifa e a Festa Social, junto com o apoio da CESE, proporcionaram à entidade Bem TV o desenvolvimento do projeto por mais um período. “Cada um ajudou como pode. No início, pela proposta da CESE, pensávamos que a população não ia se envolver. Mas o resultado foi outro”, afirma Márcia Correa, representante do Bem TV que ressalta a necessidade das organizações sociais em criar a cultura de captar recurso com o envolvimento da população local.

 

Os adolescentes do projeto Olho Vivo são capacitados nas oficinas de comunicação (fotografia, jornal e vídeo) para participarem de iniciativas da comunidade e elaborarem propostas de mídia que possam contribuir com o desenvolvimento local e na melhoria da qualidade de vida da juventude do Morro do Preventório. Por ano, 90 jovens recebem formação pelo projeto.

 

Para Lucyvanda Amorim, responsável pelo Programa Ação para Crianças e assessora de projetos da CESE, a sociedade brasileira precisa se apropriar e participar das ações que garantam direitos humanos, e as organizações precisam chamar as pessoas para agir. “Isso está expresso na Missão Institucional da CESE, fortalecer a sociedade civil na luta por transformações sociais. São vários os benefícios desse envolvimento: por um lado, é uma forma de jogar luzes sobre carências, violações etc, chamando atenção de toda a sociedade para o problema em foco. Por outro lado, a mobilização social busca somar esforços pela defesa, garantia e promoção dos direitos humanos, exercendo pressão sobre as instituições públicas que, em última instância, são as que têm a responsabilidade de fazer valer esses direitos”, completa Lucyvanda.

 

Ação para Crianças

O Programa incentiva organizações e grupos sociais a elaborem atividades de mobilização de recursos de benefício, direto ou indireto, à infância. O objetivo é incentivar a solidariedade entre as pessoas para solucionar problemas locais enfrentados por crianças e fortalecer a atuação das organizações e movimentos sociais para construírem uma maior auto-sustentação financeira, por meio de ações de mobilização de recursos que envolvam a comunidade, parceiros locais, doações de empresas etc.

 

Desde 2007, início do Programa Ação para Crianças, a CESE já apoiou projetos que beneficiaram mais de 12 mil crianças, adolescentes e suas famílias em várias regiões do País.

 

A CESE faz assessoria e promove a intermediação de recursos financeiros para projetos sociais a mais de 37 anos. Para isto é desafiada a angariar parceiros nacionais, organizações e indivíduos, a se juntarem a ela para apoiar estas iniciativas. O apoio financeiro amplia o aprendizado das organizações sociais na busca de fontes de financiamento, criando ações criativas de captação de recurso.

 

Parceiros, conheçam as iniciativas apoiadas pela CESE e invistam em ações de garantia de direitos. Você ainda pode ser apoiado, acesse o roteiro de elaboração de projeto e os critérios para apoio.

Contatos

 

Fonte:CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviço)

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca