ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • ALOP

Retrospectiva 2010 para a SOS Mata Atlântica e a Natureza

04/01/2011

A SOS Mata Atlântica apresenta uma retrospectiva com destaques de sua atuação no ano. Este “Ano Internacional da Biodiversidade”, que também foi um ano eleitoral, teve significado especial para a Fundação, principalmente por ser o Brasil o país com a maior biodiversidade do mundo. Muitas foram as ações, debates e desafios, em especial sobre a nossa Mata Atlântica, um dos biomas mais ricos e mais ameaçados do planeta, que hoje conta com apenas 7,9% de sua cobertura original. Acompanhe nessa edição uma síntese desses acontecimentos e resultados. E que venha 2011, outro ano igualmente especial: além de ser o Ano Internacional das Florestas, 2011 é tempo de também celebrar os 25 anos da Fundação! A equipe SOS Mata Atlântica, que estará em período de férias coletivas de 20 de dezembro de 2010 a 02 de janeiro de 2011, deseja a todos um 2011 repleto de realizações pessoais e avanços na luta socioambiental!

 

Situação dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) monitoram, há mais de 20 anos, a situação da vegetação remanescente da Mata Atlântica, apresentando os principais dados no Atlas dos Remanescentes Florestais.  Em 2010, foram lançados dados parciais para o período de 2008-2010, com informações sobre nove dos 17 estados onde a Mata Atlântica ocorre: Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, num total de 94.912.769 hectares analisados. Os dados mostram que os estados com desflorestamentos mais críticos foram Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina, que perderam 12.524 hectares, 2.699 hectares e 2.149 hectares, respectivamente. A esses números somam-se desflorestamentos de 1.897 hectares no Rio Grande do Sul, 743 hectares em São Paulo, no Rio de Janeiro, 161 em Goiás, 160 no Espírito Santo e 154 hectares no Mato Grosso do Sul, totalizando 20.867 hectares de floresta nativa suprimida. Saiba mais e consulte o atlas nos portais http://www.sosma.org.br e http://www.inpe.br.

 

Código Florestal: o ano acaba, mas a mobilização não!

Um dos grandes desafios de 2010 foram os esforços direcionados ao alerta para os riscos que a biodiversidade e a vida humana correm com as alterações propostas pelo relatório do deputado Aldo Rebelo, da Comissão Especial do Código Florestal. A isenção de áreas de Reserva Legal (RL), a anistia ao desmatamento, a diminuição das Áreas de Preservação Permanente (APPs) inclusive nas margens de rios pequenos, que estão sendo propostas, trazem graves consequências para a nossa água, as florestas e o clima e podem ter impactos como a maior ocorrência de acidentes naturais - a exemplo de enchentes, deslizamentos e erosão. A SOS Mata Atlântica desenvolveu uma campanha para acompanhar a questão e compartilhar as informações com a sociedade, além de atuar diretamente na defesa do Código através de sua diretoria de Políticas Públicas. E agora, no fim do ano, os esforços continuam: há movimentações no Congresso para que o novo Código Florestal seja votado às pressas a qualquer momento. Acesse nosso portal e saiba como evitar esse desmonte de nossa legislação ambiental.

 

Eleições e a Plataforma Ambiental

Neste ano de eleições, a Fundação SOS Mata Atlântica lançou a nova edição da Plataforma Ambiental. O documento reúne as principais questões ambientais da atualidade para que sejam discutidas e solucionadas pelos próximos dirigentes do país e dos estados e se baseia não apenas na Constituição Federal, mas também na Agenda 21 e nos tratados ambientais e internacionais assinados pelo Brasil. A plataforma foi disponibilizada no hotsite interativo www.sosma.org.br/plataforma para que os cidadãos participassem da Campanha, que convocou os eleitores a entregar o documento a seus candidatos e pedir o comprometimento público deles. As discussões continuam na internet: os interessados podem acessar o texto, ver quais candidatos manifestaram apoio, acompanhar e cobrar os governantes.

 

Mais de 85 mil visitantes no Viva a Mata 2010

Considerado o maior evento para a conscientização e a proteção da Mata Atlântica, o Viva a Mata reuniu, em sua sexta edição, entre os dias 21 e 23 de maio, 85 mil visitantes na Arena de Eventos do Parque Ibirapuera, em São Paulo. O evento comemorou o Ano Internacional da Biodiversidade, o Dia da Mata Atlântica (27 de maio) e discutiu outras questões fundamentais ao bioma, como sua importância para a sociedade urbana, políticas de conservação e as mudanças no Código Florestal. O patrocínio foi do Banco Bradesco e o apoio da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), da Tam Linhas Aéreas, da Rede Globo e da Eldorado, como rádio oficial.

 

Dentre os resultados do evento estão: exposição de cerca de 100 projetos de 14 estados; 11 palestras, 10 debates, sete rodas de conversa e bate-papos, cinco apresentações de teatro; manifestações em prol do meio ambiente; lançamento de cinco publicações; observação de aves no Parque com Avistar; atividades físicas com a Academia Ecofit; bate-papos com celebridades, em parceria com a Rádio Eldorado; 1.050 kg de materiais recicláveis geridos pela ONG Pueras; 810 pessoas de escolas públicas e privadas em visitas monitoradas; 20 estandes temáticos e cinco espaços institucionais; e cenografia sustentável criada por Nido Campolongo. Participe de nossos eventos também em 2011! Acompanhe as notícias em www.sosma.org.br.

 

Premiando ideias verdes

A SOS Mata Atlântica continuou a premiar, em 2010, aqueles que expressam ideias verdes em textos, imagens e atitudes. O Prêmio de Reportagem sobre a Biodiversidade da Mata Atlântica chegou a sua décima edição, contemplando os autores das melhores reportagens com uma viagem para Cancun, no México, para acompanhar a Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP-16). Mais uma vez, o Concurso SOS Mata Atlântica de Fotografia (em sua sexta edição) reconheceu o talento daqueles que, através de imagens, são porta-vozes do meio ambiente. E as crianças também tiveram suas iniciativas valorizadas. A primeira edição do Concurso de Desenhos Infantis da SOS Mata Atlântica recebeu mais de dois mil desenhos sobre a “A Biodiversidade da Mata Atlântica Brasileira”. Outro exemplo foi o concurso relâmpago de vídeos “O que eu faço pelo MEU AMBIENTE”, promovido na Conexão Mata Atlântica, a rede social da Fundação. O vencedor levou um par de ingressos para curtir os 03 dias do Festival SWU. Fique ligado: em 2011 vai ter muito mais.

 

Conectando pessoas em prol da Mata Atlântica

Em 2010, a SOS Mata Atlântica fortaleceu sua presença online. Além de um número maior de posts e ações em mídias digitais como o youtube (o canal da Fundação conta com mais de 7 mil visualizações), o blog (que teve mais de 8.500 acessos até outubro) e o twitter (atualmente com mais de 12 mil seguidores), durante o Viva a Mata 2010, a ONG lançou a “Conexão Mata Atlântica”. Trata-se de uma rede social voltada à interação sobre os projetos da Fundação, a Mata Atlântica e o meio ambiente de forma mais ampla. Na rede, é possível divulgar vídeos, fotos, participar de fóruns e eventos online, convidar amigos, fazer parte de grupos específicos e personalizar a página pessoal. O objetivo da Conexão, criada e gerenciada pela empresa Educartis na plataforma Ning, é fomentar e articular em rede a colaboração e a troca de conhecimentos entre as pessoas que se preocupam com a Mata Atlântica. A comunidade já conta com mais de sete mil membros, 18 grupos, 3 mil fotos, 154 vídeos e 79 fóruns de debate, além de 15 eventos realizados durante o ano. Participe: www.conexaososma.org.br !

 

Exposição Itinerante: milhares de quilômetros a mais de consciência ambiental

Em 2009, a Fundação SOS Mata Atlântica lançou, no Viva a Mata, o projeto “A Mata Atlântica é Aqui – Exposição Itinerante do Cidadão Atuante”. A exposição percorre diversas cidades da Mata Atlântica no país em um caminhão adaptado, promovendo educação e conscientização ambiental em conjunto com a população dessas cidades. Em 2010, a Fundação deu continuidade ao projeto, com resultados ainda mais surpreendentes do que no ano anterior. Ao finalizar o primeiro ciclo da exposição, em maio, a SOS Mata Atlântica logo deu início ao Ciclo 2, com expedições às regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Durante o ano, a exposição percorreu 40 cidades, com um público de mais de 130 mil pessoas . A exposição itinerante tem o patrocínio de Bradesco Cartões, Natura e Volkswagen Caminhões & Ônibus e conta com diferentes apoiadores locais em cada cidade. Em dois anos, o caminhão já viajou por mais de 60 cidades brasileiras em 17 estados. No início de 2011, a exposição continua seu ciclo Nordeste, visitando mais algumas cidades no Ceará, Piauí e Bahia.

 

Empresas e pessoas contribuindo para a proteção da Mata Atlântica. E você?

A Captação de Recursos da Fundação SOS Mata Atlântica buscou, em 2010, investimentos da iniciativa privada e de pessoas físicas para manter suas atividades e lançar novos projetos para proteção da Mata Atlântica. Um exemplo foi o apoio do Grupo Schincariol para o programa de educação ambiental Aprendendo com a Mata Atlântica, com visitas monitoradas de mais de 3.700 alunos de escolas da região de Itu (SP) ao Centro de Experimentos Florestais. Outras ações em parceria com empresas foram o trabalho de sensibilização ambiental com funcionários da TAM Linhas Aéreas; a participação no Festival Natura Nós para venda de produtos e atividades de mobilização; o voluntariado com funcionários da empresa Tintas Coral em escolas públicas na cidade de Mauá (SP) e Recife (PE), o apoio ao projeto de restauração florestal na reserva Tangará, etc. Já na área de filiação de pessoas físicas, muitas ações voltadas para filiados antigos e captação de novos filiados também foram realizadas.

 

Exemplos são as expedições à Prainha Branca e ao Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica, além das ações e promoções exclusivas para os filiados. E você, quer começar 2011 participando dessas atividades exclusivas? Novas filiações à Fundação feitas a partir do plano Jacarandá, além de contribuir com o meio ambiente, ganharão uma linda agenda 2011 SOS Mata Atlântica! Mas corra: a promoção só é válida até 05 de janeiro de 2011. Conheça os planos, a agenda e filie-se no site da loja da Fundação.

 

Restauração Florestal: Clickarvore e Florestas do Futuro

Em 2010, o programa Clickarvore lançou sua publicação comemorativa de 10 Anos, e ganhou um novo portal e uma nova estratégia de ação para a restauração florestal da Mata Atlântica. Na primeira década do programa, os internautas, com o seu clique, doaram mais de 22 milhões de mudas e contribuíram para a restauração de mais de 13 mil hectares de floresta nativa. A partir desse ano, cada clique passou a valer um voto para definir as regiões onde serão plantadas as mudas doadas pelos parceiros do Clickarvore. Em cada voto diário, o internauta ganha pontos para jogar o Desafio Verde, criado para mostrar como funciona a adequação ambiental de uma propriedade. E o proprietário de terras, além de receber as mudas e a orientação para a restauração florestal, recebe benefícios após 03 anos caso o reflorestamento traga resultados reais para a biodiversidade. Saiba mais em www.clickarvore.com.br. O programa Florestas do Futuro, lançado em 2004 para promover a restauração florestal com foco na recuperação de matas ciliares importantes para a produção de água em cinco bacias hidrográficas, plantou em 2010 581.347 mudas, em 11 diferentes áreas. Veja mais sobre esse importante programa em www.florestasdofuturo.org.br .

 

Centro de Experimentos Florestais: florestas recuperadas e educação ambiental

Em novembro, o Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – Grupo Schincariol completou 03 anos de existência com muitos resultados para comemorar. Estabelecido em Itu (SP), o Centro abriga a coordenação dos programas de restauração Clickarvore e Florestas do Futuro, bem como um viveiro que produziu, em 2010, 330 mil mudas de espécies arbóreas nativas da Mata Atlântica. Delas, 195 mil foram plantadas na própria fazenda, e outras 22 mil, em áreas externas. Outros destaques de 2010 foram as pesquisas realizadas pela equipe SOS Mata Atlântica, utilizando apenas espécies pioneiras e por meio da técnica de nucleação; o acompanhamento e a orientação de três projetos de pesquisa, em parceria com a UFSCAR (Universidade Federal de São Carlos), unidade Sorocaba; e o lançamento do projeto Aprendendo com a Mata Atlântica com o início das atividades de educação ambiental com 20 escolas de Itu e região. Acompanhe a agenda 2011 do Centro no portal da SOS Mata Atlântica e saiba como visitá-lo pelo email restauracao.educacao@sosma.org.br .

 

Esse ano deu praia!

Em sua penúltima edição de 2010, o boletim Ecos da Mata já traz alguns resultados da Fundação no ano. Desde 2006, o Programa Costa Atlântica contribui com o desenvolvimento sustentável e a manutenção do equilíbrio ambiental das zonas costeira e marinha do Brasil. Em 2010, foram diversas as atividades da Fundação nessa área. Um dos destaques foi a divulgação de um estudo pioneiro, feito em parceria com a Conservação Internacional (no âmbito da Aliança para a Conservação Marinha), a Universidade Federal da Paraíba e a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, que mapeou as áreas prioritárias para a conservação marinha e costeira, listando as espécies ameaçadas de extinção em várias regiões do Brasil. Também através da parceria com a Conservação Internacional, foi realizada a segunda edição do curso “Monitoramento da Biodiversidade e Pescarias para o Manejo de Unidades de Conservação Marinha”. Os vencedores do terceiro e do quarto editais Costa Atlântica foram anunciados em 2010, com a aprovação de mais onze projetos de suporte à conservação marinha e costeira. Já no que diz respeito ao Fundo pró-Unidades de Conservação Marinhas, manteve-se o apoio ao Atol das Rocas (RN), via Fundo Atol das Rocas e captação de outros recursos; e à Estação Ecológica (Esec) Guanabara, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) de Guapimirim (RJ), através do Fundo Guanabara.

 

Apoio chega a mais reservas particulares

O Programa de Incentivo às Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) da Mata Atlântica já apoiou, em sete anos de existência, a criação de 382 reservas, que protegerão cerca de 26 mil hectares, e 78 projetos de gestão para RPPNs, contribuindo para conservação de mais de 16 mil hectares. Uma das principais atividades do programa é o lançamento de editais que disponibilizam recursos para a criação e gestão das RPPNs. Em 2010, o programa lançou dois editais. O primeiro foi voltado para todo o bioma Mata Atlântica, com linhas de apoio a criação e elaboração de plano de manejo, que recebeu 65 propostas e aprovou 27 projetos. O edital, que contou com recursos do Projeto Proteção da Mata Atlântica II – Funbio/KfW e da Bradesco Capitalização, apoiará a criação de 37 novas RPPNs, que somam 1.459 hectares, e a elaboração do Plano de Manejo de oito reservas já existentes, consolidando a proteção de 12.519 hectares de floresta. O segundo edital lançado foi o de Fortalecimento Institucional, que recebeu 17 propostas e aprovou 6 projetos, num total de R$ 253 mil. Esse edital relaciona-se ao Programa de Fortalecimento Institucional para organizações que atuam na conservação de terras privadas na Mata Atlântica – CEPF (Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos), que em 2010 realizou duas oficinas e capacitou 28 instituições em temas estratégicos. Outro destaque do Programa de Incentivo às RPPNs em 2010 foi o lançamento do quarto volume da série RPPN Mata Atlântica – RPPN e Biodiversidade: o Papel das RPPNs na Conservação da Biodiversidade da Mata Atlântica.


Voluntariado e Educação Ambiental comemoram resultados

O Grupo de Voluntários da Fundação SOS Mata Atlântica, agentes multiplicadores que trabalham para a melhoria da qualidade de vida por meio da educação, da mobilização e da formação para o exercício da cidadania socioambiental, teve bastante trabalho em 2010. No ano, 200 pessoas participaram das reuniões para novos voluntários e 150 efetivamente se engajaram. Os voluntários e a coordenação de mobilização da instituição apoiaram diversas ações como atividades de educação ambiental, mutirões de plantio e limpeza em escolas municipais; Plataforma Ambiental; projeto-piloto de desenvolvimento comunitário na comunidade no entorno da escola Airton Arantes -Jardim São Luiz; ação de voluntariado na APA de Guapimirim; ações na prainha Branca – Guarujá; participação no Viva a Mata e em outros eventos; mobilizações na campanha Exterminadores do Futuro; oficina do modelo colaborativo realizada em Murici (AL); roda de conversa na exposição itinerante no Rio de Janeiro (RJ), em Murici (AL) e em Brasília (DF); palestras e cursos na sede da SOS Mata Atlântica; etc. O programa de educação ambiental Mata Atlântica Vai à Escola também contabiliza ótimos resultados. Em 2010, 13.716 alunos, de oito escolas de São Paulo, foram beneficiados pelo programa, que envolveu 36 educadores. A iniciativa visa sensibilizar, capacitar e mobilizar professores e alunos do ensino fundamental das redes de ensino pública e privada sobre a importância da conservação ambiental e do bioma Mata Atlântica, promovendo educação e conhecimento para estimular o exercício da cidadania socioambiental. Para 2011, as escolas podem se inscrever pelo site www.sosma.org.br/mave.

 

Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Fórum Social Mundial

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca