ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Petrobras
  • REDES

    • MCCE

Manifestação em frente à embaixada egípcia em Dacar pede saída de Mubarak

11/02/2011

O Fórum Social Mundial que acontece em Dacar, no Oeste Africano, transcorre conectado com os acontecimentos da Praça Tahrir, no centro da cidade do Cairo, ao norte do continente. Na quinta-feira (10), os mais de 2 mil participantes da Assembléia dos Movimentos Sociais, realizada durante a tarde, compartilhavam com os manifestantes egípcios a ansiedade pelo discurso em que o presidente Hosni Mubarak poderia anunciar sua renúncia. E depois sentiram também a frustração com o recuo do mandatário, que pretende se manter no poder até as eleições em setembro.

 

Foi um dia de assembléias de convergëncias no território do FSM. Trata-se de um modo novo de encaminhar as articulações feitas no encontro. Se existem lutas comuns entre as organizações, elas podem se encarregar de convocar ações conjuntas por meio de assembléias temáticas.

 

Nesse dia de expectativa internacional, houve assembléias sobre as campanhas contra a ocupação palestina, sobre os preparativos do Rio + 20, sobre o Fórum Social regional Magreb Mashrek, sobre a Educação. E houve encontros e atividades preparatórias das assembléias que acontecem nesta sexta-feira, como da Diaspora Africana, das Mulheres, da Comunicação. Em todas elas, a especulação sobre a queda de Mubarak correu como um burburinho.

 

Desde o primeiro dia de atividades, ativistas no FSM têm feito contato com a resistência popular egípcia. Na tarde do dia 7, um cyber café universitário incrementado com um projetor serviu para exibir na parede as imagens da Praça em tempo real, e notícias foram transmitidas entre um e outro evento pela internet. " Minha mulher está lá agora", apontava El-Adawy, que ajudou participantes do FSM a compreender o significado da revolta em seu país (ver entrevista).

 

No dia 8, um milhão de pessoas eram esperadas nas ruas do Cairo, e o assunto voltou a integrar as pautas das atividades, por exemplo na mesa sobre alternativas de comunicação cidadã nas lutas sociais, lembrando o uso da internet na mobilização contra Mubarak.

 

Quando o presidente egípcio iniciou seu discurso, já estava convocada entre os participantes do FSM uma manifestação em frente à embaixada egipcia em Dacar para a sexta-feira. Não se sabia ainda se a finalidade seria de protesto ou de festa pela renúncia.

 

"Nunca sucumbi à pressão internacional", declarou em seu discurso o político acuado pela multidão nas ruas, mas decidido a ficar no poder. "Anuncio que vou continuar nesse cargo e assumir minhas responsabilidades." Essas frases que fizeram egipcios erguerem seus sapatos em insulto ao dirigente, tambem provocaram indignação em Dacar.

 

Nesta sexta-feira, em frente à embaixada, é provável que mais sapatos sejam erguidos contra Mubarak.

 

Fonte: Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada (por Rita Freire)

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Compartilhar Conhecimento: uma estratégia de fortalecimento das OSCs e de suas causas

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca