ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • FIP

Manifestações em todo o Brasil marcam mês do Dia Internacional das Mulheres

17/03/2011

Em 2011, mulheres de todo o mundo comemoram os 101 anos da proposição do Dia Internacional de Luta das Mulheres. No Brasil, o 8 de março caiu na terça-feira de carnaval, o que fez com que militantes de diversos estados optassem por realizar seus atos e demais atividades ao longo do mês. Em algumas cidades, as mulheres aproveitaram a coincidência de datas para dar o seu recado em meio ao carnaval, organizando blocos feministas que protestaram contra a forma como a festa popular explora o corpo e a imagem das mulheres, entre outros temas.

No estado de Alagoas, a programação conta com seminário sobre assédio moral, igualdade de oportunidade e educação não sexista, marcado para 17/3, seminário e entrega de documentos para autoridades estaduais e municipais sobre violência, em 22/3, visita às mulheres de comunidades e debate sobre violência contra a mulher, em 29/3 e debate sobre reforma política em 30 e 31/3.

No Amazonas, mulheres da região de Parintins realizaram uma oficina sobre a mercantilização da vida das mulheres, em 4/3, e ato e panfletagem para denunciar a violência contra a mulher, chamada de Chega de violência! Mulher levanta-te e grita!, no 8 de março. Em Manaus, além da exibição de filmes sobre a luta das mulheres, houve uma participação na Ala da Escola de Samba Reino Unido no Carnaval e a divulgação da Lei Maria da Penha e serviços de atenção à mulher nas rádios comunitárias.

As mulheres do Ceará participaram do bloco feminista “Adeus, Amélia!”, que saiu no dia 8 de março, em Fortaleza. Devem estar presentes ainda de outras atividades que serão confirmadas em breve.

No Distrito Federal haverá a entrega pública de um abaixo assinado exigindo a construção de creches na Estrutural (cidade satélite de Brasília) no dia 19, sábado, durante um Seminário que discutirá políticas para a localidade. Este abaixo assinado foi organizado pelas mulheres da MMM em 2010, e possui cerca de 500 assinaturas. No domingo, 20, acontecerá um ato político Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, organizado pela Secretaria de Mulheres da CUT, que contará com a participação das mulheres da MMM.

Em Belo Horizonte, Minas Gerais, as mulheres realizaram oficinas da batucada e confecção de materiais para um ato público unificado, que aconteceu no dia 11/3. De 1 a 3/03, foi realizado também o Seminário das mulheres camponesas dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce (Teófilo Otoni). Em Viçosa, no dia 1/3, aconteceu uma oficina organizada pela MMM sobre a história do 8 de março, que fez parte da programação da recepção de calouros do DCE-UFV. Já na região do Triângulo Mineiro, de 1 a 3 de março, foi realizado um seminário reunindo mulheres camponesas do Triângulo, Norte, Zona da Mata, Metropolitana e Sul.

Já no Paraná houve uma Audiência Pública para cobrar do governo a implantação da Secretaria Estadual da Mulher no estado, organizada pela Marcha e demais movimentos de mulheres. No dia 3, as mulheres da CUT organizaram um bloco de carnaval de trabalhadoras do campo e da cidade. O ato unificado aconteceu no dia 12/3, em Curitiba. Foram realizadas também caminhadas, debate, ato e uma café feminista em diversas cidades do estado.

Em Pernambuco, as mulheres da Marcha participaram de dois blocos carnavalescos. O primeiro foi o “Nem com uma flor”, que saiu em Recife, no dia 3 de março, para denunciar e divulgar formas de prevenção à violência doméstica. O outro, chamado de Marcha Mulher, circulou nas ladeiras de Olinda no 8 de março, contando com a participação da batucada.

As militantes do Rio Grande do Norte estão participando de diversos encontros e mobilizações que serão encerradas conjuntamente no próximo sábado, 19/3, em uma atividade em Mossoró. Haverá um café coletivo, uma marcha, ato e programação cultural, sob o tema mulheres e poder. Estarão presentes mulheres de 15 a 20 municípios da região oeste do estado. Já em Natal, as mulheres da MMM participam de uma atividade unificada que conta com acampamento de trabalhadoras do campo e da cidade, oficinas e caminhada.

As mulheres da MMM do Rio Grande do Sul se juntaram às trabalhadoras do campo e da cidade para um ato que aconteceu no dia 1º de março. No dia 3, uma atividade realizada na Assembleia Legislativa tratou da origem do 8 de março. Entre os dias 11 e 13 de março foi apresentada a peça Frida, à Revolução!, que conta a história da pintora e militante mexicana Frida Kahlo. Em seguida, no dia 14, houve a apresentação do vídeo Seguiremos em marcha até que todas sejamos livres, documentário sobre a realização da 3ª Ação Internacional da MMM em 2010.

No Rio de Janeiro e em São Paulo foram organizados os blocos “Maria Vem com as Outras” e “Adeus, Amélia!”, respectivamente. Ambos saíram no dia 8 de março e ocuparam as ruas da Lapa, no Rio, e o elevado Costa e Silva, o Minhocão, no centro de São Paulo. No Rio acontece ainda, no dia 17 de março, o Ato Unificado do Dia Internacional de Luta das Mulheres na Central do Brasil e uma atividade da Marcha Mundial das Mulheres no dia 27, no Aterro do Flamengo, a partir das 10h. Em São Paulo, cinco mil pessoas participaram do ato unificado “Em luta por autonomia e igualdade, contra o machismo e o capitalismo”, que percorreu as ruas do centro da cidade na manhã de 12 de março, e terminou com a Praça da Sé lotada. O ato de abertura do Mês das Mulheres e Lançamento Estadual da Marcha das Margaridas, em 2/3, também fez parte da programação. Campinas também realizou ato, no dia 11/3, no Largo da Catedral. Em Hortolândia, a mobilização aconteceu em 10/3.

Em Sergipe, a Marcha Mundial das Mulheres realizou, em parceria com as mulheres da Universidade Tiradentes (UNIT), atividades como exposição de vídeos e debates sobre o tema da violência contra a mulher (11/3), mesa redonda no dia 15/3, oficinas com mulheres do município de Lagarto, também sobre o tema da violência, além de ato público em Aracaju, marcado para dia 18/3, com a presença da batucada.

Adeus Amélia
Unindo irreverência e ousadia, o bloco feminista de carnaval “Adeus, Amélia!” tomou as ruas de São Paulo na tarde do último 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres e terça-feira de carnaval.

Criado pelo movimento de mulheres do Ceará, o “Adeus, Amélia” é um bloco de contestação da imagem da mulher durante o carnaval. Em São Paulo o bloco desfilou pelas desfilou pelas pistas do Elevado Costa e Silva, no fim da tarde.

Contou com a participação de cerca de 100 pessoas, esbanjando ousadia e irreverência feminista. As mulheres cantavam palavras de ordem que rechaçavam a mercantilização do corpo e vida das mulheres. O refrão: "Amélia a mulher de verdade, não cabe mais na nossa realidade. Hoje somos inteiras, e não pela metade” expressou que as mulheres não aceitam mais viver como apenas como donas de casa e mães, mas sim como mulheres autônomas, donas de sua liberdade.

O bloco fez parte da celebração do Dia Internacional de Luta das Mulheres. As organizações que planejam o ato unificado do Dia Internacional das Mulheres realizarão ainda, no próximo dia 12 de março, às 9h30, na Praça Roosevelt, um ato e manifestação reivindicando direitos iguais entre mulheres e homens e a legalização do aborto.

 

Fonte: Marcha Mundial das Mulheres

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Compartilhar Conhecimento: uma estratégia de fortalecimento das OSCs e de suas causas

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca