ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política

Ato reúne manifestantes em defesa das florestas em Brasília e projeto pode ser votado nesta semana

30/11/2011

Em mobilização do Comitê em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, manifestantes levam 1,5 milhão de assinaturas à Presidência da República para evitar que o novo Código Florestal amplie o desmatamento no País. Texto aprovado na Comissão de Meio Ambiente do Senado deve ser votado em plenário nesta quarta-feira

 

Cerca de 1,5 mil manifestantes reunidos nesta terça-feira (29/11), em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, fizeram um apelo à presidente Dilma Rousseff. Eles querem que ela cumpra sua promessa de campanha e impeça que o novo Código Florestal permita a anistia a quem desmatou ilegalmente e a redução de áreas protegidas em propriedades rurais.

 

A manifestação foi organizada pelo Comitê em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, do qual o ISA é um dos integrantes.

 

Marina Silva e grupo com o abaixo-assinado de mais de 1,5 milhão de assinaturas na Praça dos Três Poderes

Participaram do protesto representantes de movimentos sociais, ambientalistas, estudantes e artistas, como o ator Victor Fasano e as cantoras Vanessa da Mata e Sandra Peres. Um grupo de aproximadamente 600 crianças vestidas de verde segurava uma faixa que dizia: “Dilma, salve as nossas florestas e proteja o nosso futuro”.

 

As crianças cantaram ao lado de Sandra Peres e soltaram balões verdes biodegradáveis, simbolizando a proteção às matas. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP) e os senadores Marinor Brito (PSOL-PA) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) estiveram presentes.

 

Crianças pediram à presidenta Dilma Roussef um presente: o veto à reforma do Código Florestal

Os manifestantes montaram varais com cópias das folhas contendo as assinaturas nas grades de proteção em frente ao Palácio do Planalto. Logo após o ato, representantes do comitê entregaram cerca de 1,5 milhão de assinaturas ao ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

 

As assinaturas foram recolhidas por meio de um abaixo-assinado do comitê e de uma petição on line da organização AVAAZ. No final da tarde, o grupo entregou os documentos ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

 

Manifestação coloriu de verde parte da Praça dos Três Poderes

“A Dilma tem um estilo próprio mesmo e o estilo dela é não faltar com a palavra”, afirmou Carvalho. “Todas as manifestações que tenho ouvido da presidenta é que não há conversa com anistia. Não vou dizer que estamos tranquilos, porque a guerra é dura e pesada. Não vejo espaço nenhum para que haja esse tipo de recuo que passe pela mesa da presidenta”, disse, fazendo referência ao compromisso de campanha da então candidata Dilma Rousseff.

 

Carvalho comprometeu-se a encaminhar o pedido do comitê para ser recebido pela presidenta e disse que ela estaria se empenhando pessoalmente, inclusive mobilizando os líderes do governo no Congresso, para aperfeiçoar o texto que tramita no Senado. “Infelizmente o resultado não está sendo o que esperávamos. Ainda tem combate e vamos dar esse combate. Não posso me antecipar e não tenho a arrogância de antecipar a decisão sobre um veto, mas afirmo uma coisa: a Dilma cumpre a palavra.”

 

Cerca de 1,5 mil pessoas marcharam do Congresso Nacional ao Palácio do Planalto para pedir mudanças na reforma do Código Florestal

 

A atuação do Palácio do Planalto no debate da reforma do Código Florestal é considerada omissa e ambígua pelas organizações ambientalistas. “Existe uma base do governo que precisa ser mobilizada para fazer prevalecer o compromisso da presidenta. Isso ainda não aconteceu, apesar da expectativa que tínhamos”, afirmou a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que estava na comitiva recebida no Planalto.

 

Manifestação lembrou Dilma de compromisso assumido na campanha eleitoral de vetar anistia e redução de proteção a florestas

Por um acordo das lideranças partidárias, o texto aprovado na CMA (Comissão de Meio Ambiente) na semana passada pode ser votado no plenário do Senado ainda nesta semana (30/11) (saiba mais).

“Dilma terá uma importante atuação neste momento. Esperamos que a situação seja resolvida de forma favorável antes que a presidenta precise vetar o texto”, comentou o ator Vitor Fasano.

 

Comitês

 

Conscientes da gravidade da proposta ruralista de reforma do Código Florestal, importantes organizações da sociedade civil se uniram e criaram o Comitê em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento, que atualmente conta com quase 200 integrantes, incluindo ainda CNBB, CUT, Via Campesina, OAB, Greenpeace, WWF, IDS, SOS Mata Atlântica, entre outros. Hoje, há 11 comitês regionais em todo o País.

 

Enquanto protesto ocorria, senadores ruralistas e governistas comemoravam entrega de pareceres da reforma do Código Florestal ao presidente do Senado, José Sarney. Acordo de líderes permite votação nesta semana.

Para apoiar o comitê, surgiu o movimento #florestafazadiferenca, que, em parceria com o cineasta Fernando Meirelles, mobilizou artistas e especialistas para a gravação de depoimentos sobre o tema, o que vem gerando grande repercussão na mídia. Entre os apoiadores, estão Alice Braga, Denise Fraga, Wagner Moura, Gisele Bündchen e Rodrigo Santoro. Os vídeos podem ser acessados no site www.florestafazadiferenca.org.br/home

 

Com assessoria do Comitê em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável

 

Fonte: ISA - Instituto Socioambiental

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca