ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Imigrantes haitianos em Tabatinga, no Amazonas, apelam ao governo para terem situação legalizada

09/04/2012

Os haitianos e haitianas que estão em Tabatinga, no Amazonas, Norte do Brasil, desde o dia 14 de janeiro deste ano fizeram um apelo às autoridades brasileiras. Por meio de carta, relataram a situação dos mais de 350 imigrantes que estão na cidade à espera do visto permanente para conseguir viver e trabalhar legalmente no país. Nesta semana, o Secretário Nacional de Justiça anunciou que todos/as receberiam o visto humanitário, mas a noticia ainda não foi dada oficialmente.

 

A carta, denominada Manifesto dos haitianos presentes em Tabatinga, agradece à presidenta Dilma Rousseff, ao governador do Amazonas e a todos os governadores do Brasil por aceitarem os haitianos em território brasileiro. Os haitianos também agradecem o apoio da igreja Católica e dizem estar contentes por terem conseguido chegar ao Brasil, onde as pessoas são boas, respeitosas e solidárias.

 

No documento, os imigrantes também confessam o abandono e desemprego em que se encontram. "Temos uma situação que atravessa quase o desumano: sem dinheiro, não podemos pagar o aluguel, nossa alimentação; na cidade não há doutores, e nós estamos muito debilitados e ficamos doentes muitas vezes. Aqui não há trabalho e é triste ver pessoas adultas vivendo de caridade”, relatam na esperança de sensibilizar as autoridades nacionais para a realidade dos imigrantes.

 

Os que conseguiram chegar ao Brasil deixaram para trás famílias que aguardam ajuda por entenderem que os imigrantes estão em um país melhor e podem enviar dinheiro. Os haitianos deixam claro que não querem ser um fardo para a sociedade, mas sim desejam trabalhar, construir uma vida e reconquistar "a dignidade que todos os homens merecem”, por isso pedem, "por favor, não esqueçam de nós”.

 

Apesar da situação, afirmam ter esperança de que o Governo Federal e demais responsáveis vão legalizar a situação dos que estão à espera de oportunidades.

 

Esta resposta tão esperada pelos imigrantes veio ontem (4) por meio da rede social Twitter, onde o Secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão, assegurou que o Brasil vai conceder o visto humanitário para os 363 haitianos que estão em Tabatinga e para os 245 que estão em Iñapari, no Peru. Apesar deste anúncio feito por Paulo Abrão em sua conta pessoal do Twitter, ainda se espera informações oficias.

 

Desde a chegada dos primeiros haitianos/as ao Brasil, após o terremoto de 12 de janeiro de 2010, organizações sociais como a ‘Conectas Direitos Humanos’ vêm pressionando o Governo brasileiro a adotar um postura humanitária com relação aos imigrantes haitianos que fogem da pobreza em seu país. No mês passado, a organização foi firme ao cobrar esclarecimentos do Governo sobre a nova política brasileira para acolhimento de haitianos.

 

Com a notícia de que os imigrantes que haviam ficado no "limbo” vão receber o visto humanitário, a organização afirma aguardar a oficialização da medida e também critica a demora.

 

"Esperamos o anúncio oficial desta medida, que poderá resolver a situação dos migrantes haitianos que ficaram fora do alcance do visto humanitário. Lamentamos que o governo tenha demorado quase 3 meses para resolver esta situação e que o anuncio não seja feito de forma oficial. Esperamos que esta medida, quando oficialmente anunciada, seja aplicada de forma rápida, efetiva e transparente, evitando novas demoras, e por meio de um processo adequado para a situação vulnerável na qual estas pessoas se encontram atualmente” disse Juana Kweitel, diretora de Programas da Conectas Direitos Humanos.

 

Fonte: Adital, por Natasha Pitts

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca