ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • ALOP

MDA passou a noite com o povo

18/04/2012

Os ministros do governo federal podem acordar tranquilos.

 

O patrimônio público passou a noite sob controle do povo, pelo menos no Ministério do Desenvolvimento Agrário.

 

O MST, que ocupou o ministério na manhã desta segunda-feira, para cobrar o assentamento das 186 mil famílias acampadas, tem como conduta preservar o patrimônio público.

 

Não parece que o Ministério da Fazenda tem a mesma responsabilidade.

 

Lá o patrimônio público vem sendo dilapidado ano a ano com o pagamento de juros, rolagem e refinanciamento dos títulos da dívida pública.

 

Os títulos da dívida pública brasileira estão sob propriedade de bancos, fundos de investimentos, fundos de pensão do capital financeiro.

 

O pagamento da dívida pública drenou do orçamento geral da União, apenas em 2011, R$ 708 bilhões (que representa cerca de 45,05% do total do orçamento).

 

O Ministério da Fazenda desvia do orçamento esse montante.

 

Não respeita o patrimônio público, uma vez que todo o povo brasileiro paga impostos para que sejam investidos em escolas, hospitais, transporte público, estradas... mas são desviados.

 

Os ministros preocupados com o patrimônio público devem se voltar ao ministro Guigo Mantega, nas reuniões do núcleo do governo, e dizer com firmeza:

 

- É nosso dever preservar o patrimônio público.

Os ministros preocupados com o patrimônio público devem defender também a instalação da CPI do Carlinhos Cachoeira e da Privataria Tucana.

Esses casos de corrupção dilapidaram o patrimônio e recursos públicos.

Se se quer preservar o patrimônio público, nesse caso, é necessário instalar essas CPIs, investigar, punir os responsáveis e retomar os recursos desviados e as empresas privatizadas.

O patrimônio público está ameaçado também com o corte de 70% do orçamento do Incra.

A assistência técnica para assentamentos rurais, criados a partir de um programa público, está ameaçada.

E os cursos promovidos em parceria pelo Incra e universidade públicas, que inclusive já tiveram etapas realizadas, também foram prejudicados.

Em defesa da reforma agrária e contra os cortes no orçamento de programas públicos, ocupamos o ministério e, diante da inoperância do governo, decidimos permanecer até hoje.

É nosso dever preservar o patrimônio público.

Se os ministros preocupados com o patrimônio público não dormiram tranquilos, foi por ter na memória os compromissos que firmaram com o MST em acampamento em agosto de 2011.

Quase nada saiu do papel.

 

Aqui, veja os compromissos assumidos pelo governo com o MST, pela voz do ministro Gilberto Carvalho.

 

Fonte: Página do MST, por Igor Felippe Santos

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI)

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca