ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Via Campesina chama à preparação de jornadas internacionais de luta durante o mês de junho

10/05/2012

Com a proximidade da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que se realizará de 20 a 22 de junho, no Rio de Janeiro (Brasil), a Via campesina está fazendo um chamado para a realização de jornadas internacionais de luta durante todo o mês de junho. O objetivo é mostrar a união e a força popular das organizações sociais e ambientais, além de deixar claro aos líderes mundiais que estarão na Rio+20, que o caminho para o desenvolvimento sustentável está na agricultura campesina e não nas falsas soluções do "capitalismo verde”.

 

Via Campesina pede atenção especial para o cinco de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente. Neste e nos demais dias do mês de junho, organizações campesinas e seus parceiros podem realizar marchas no meio urbano e no rural, coletivas de imprensa, ações voltadas à reivindicação por reforma agrária e terra, campanhas de comunicação, programas de rádio, mobilizações contra as empresas que exploram o meio ambiente, debates em escolas e universidades, exibição de filmes temáticos, entre outras iniciativas de conscientização.

 

"No momento em que o capitalismo quer globalizar ainda mais o sistema, dominar nossos territórios e explorar nossa força de trabalho, devemos internacionalizar a luta. Vamos organizar, preparar nossas ações, articular nossas bases e nossos aliados nesta grande jornada de luta contra o capitalismo. A força em nossa viagem virá de nossa capacidades para organizar e proporcionar a visibilidade nacional e internacional”, anima a Via Campesina.

 

A organização defende que as ações são necessárias ao observar o constante avanço do capitalismo mesmo durante épocas de crise, como acontece desde 2008, quando a crise econômica e financeira mundial despontou e desencadeou também crises alimentares, energéticas e ambientais, cenários prejudiciais aos povos do mundo e não às elites e corporações.

 

Mesmo com um cenário de recessão, teve continuidade a compra e o acúmulo de terras por empresas estrangeiras, o crescimento da mineração, da exploração da terra para produção de agrocombustíveis, além do uso de tecnologias transgênicas, e de agrotóxicos e pesticidas em quantidades cada vez maiores. A Via Campesina denuncia que a crise é uma oportunidade para as empresas expandirem sua dominação e intensificarem a exploração de ativos como mão de obra.

 

Assim, a Cúpula dos Povos, que acontecerá de 15 a 23 de junho, também no Rio de Janeiro, será uma oportunidade para os movimentos e organizações sociais e ambientais e para os povos do mundo inteiro levantar a voz para denunciar as falsas soluções plantadas pelo capitalismo verde e a apropriação dos territórios tradicionais dos povos e de campesinos e campesinas. Será também um momento para desafiar os interesses que vão à contramão das verdadeiras soluções para promover a sustentabilidade e combater a crise ambiental global.

 

Via Campesina pede que todas as iniciativas organizadas sejam comunicadas por meio do endereço:lvcweb@viacampesina.org

 

Fonte: Adital, por Natasha Pitts.

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Projeto Sociedade Civil Construindo a Resistência Democrática

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca