ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fastenopfer
  • REDES

    • Fórum Social Mundial

Mobilização da CESE pelo Veto às Mudanças no Código Florestal

22/05/2012

No último dia 25 de Abril, profundas e terríveis alterações no atual Código Florestal Brasileiro foram aprovadas na Câmara dos Deputados. Ignorando anos de discussões, a opinião pública, peritos no assunto e até mesmo o pedido da própria Dilma Rousseff, os deputados, desmoralizaram as negociações no Senado Federal, piorando o que já estava ruim. Tomaram uma decisão que ameaça ainda mais a biodiversidade do país a favor de uma visão produtivista que torna legal, em nome de um suposto aumento das áreas agricultáveis, a destruição de florestas, diminuição da metragem de matas das beiras dos rios e anistia quem desmatou ilegalmente.

 

Às vésperas do grande encontro da ONU sobre desenvolvimento sustentável, a Rio+20, que acontecerá no próximo mês, no Rio de Janeiro, esse posicionamento da Câmara dos Deputados significa um enorme retrocesso aos avanços obtidos na legislação brasileira em relação à questão ambiental e vai na contramão do que o mundo está discutindo sobre o assunto depois da confirmação de que o aquecimento global aumenta progressivamente, provocado em grande parte pela ação humana sobre os recursos naturais do planeta.

 

Segundo pesquisas, mais de 70% da população brasileira são contrários à aprovação das alterações do Código Florestal.  Diversos segmentos da sociedade como estudantes, artistas, intelectuais, igrejas e movimentos sociais têm lançado apelos, aderido campanhas e ido às ruas manifestar essa contrariedade. Uma petição lançada pela Avaaz.org já reuniu mais de 1,8 milhão de assinaturas para pressionar a presidenta a vetar todos pontos controversos do projeto. Clique aqui conhecer a campanha e assinar!

 

Dilma já deu algumas indicações de que vetará as modificações propostas pelos deputados e terá até o dia 25 de maio para tomar a decisão. Até lá, será necessário que a população também se posicione pelo veto, dando respaldo popular para que a presidenta confirme essa intenção. A pressão é fundamental para que ela e sua equipe se encorajem para preservar a essência do antigo Código Florestal.

 

A equipe da CESE também se mobiliza

 

Equipe da CESE mobilizando pessoas na rua

 

Na última sexta feira, 18 de maio, funcionários/as foram às ruas empunhando faixa e distribuindo material informativo, conversaram com pessoas para sensibilizá-las sobre as consequências nefastas que uma possível modificação no Código poderia acarretar para a preservação da biodiversidade em nosso país. Transeuntes, estudantes, motoristas, passageiros de ônibus e tantas outras pessoas foram conclamadas a aderir a campanha VETA, DILMA e assinar a petição.

 

A ideia de realizar a ação entre funcionários/as foi inspirada em outra iniciativa, dois anos atrás, quando urnas foram colocadas na frente da CESE para sensibilizar a população a votar no plebiscito popular a favor da limitação da propriedade da terra. Aí nos perguntamos: há várias iniciativas ocorrendo em vários lugares do país a favor do veto presidencial às mudanças no código. Então, porque não fazer alguma movimentação no entorno do escritório e demonstrar mais uma forma de engajamento da CESE?

 

Para Dimas Galvão, Supervisor de Projetos e Formação da CESE, foi uma importante iniciativa porque está em profunda sintonia com a luta por direitos – razão da existência da CESE – além do que, propiciou o contato direto de colegas de trabalho com a população que se movimenta nas proximidades do escritório, a favor de uma causa importantíssima que, afinal, é do interesse coletivo, do Brasil.

 

José Carlos Zanetti, Assessor de Projetos e Formação, alerta para o perigo de uma possível aprovação e espera que a presidenta ouça a voz das ruas, sem se deixar levar pelo canto dos ruralistas de que a produção de alimentos estaria ameaçada. Isto é manipulação emocional sobre os pequenos produtores que nada têm a ver com os pecuaristas e grandes monocultivos da soja, cana e eucalipto que avançam sobre nossas florestas. Para eles, a terra é só fator de produção, sem qualquer sentido do sagrado, que gera toda forma de vida.

 

Veta, Dilma!

Veta tudo, Dilma!

 

Fonte: CESE

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI)

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca