ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Instituto C&A
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política

Mobilizações nacionais marcam últimos momentos que antecedem decisão presidencial sobre Código Florestal

25/05/2012

Até amanhã, sexta-feira (25), dia em que a presidenta brasileira Dilma Rousseff vai divulgar sua decisão sobre o polêmico Código Florestal, o clima é de tensão. Há vários dias, movimentos e organizações sociais e ambientais, ex-ministros do Meio Ambiente, políticos, estudantes e artistas se mobilizam para que a presidenta opte pelo veto total ao Código. Hoje e amanhã, ainda acontecem mobilizações nas redes sociais, além de vigílias e uma serenata para a presidenta.

 

Segundo Regina Cavini, superintendente de Comunicação e Engajamento do WWF-Brasil, o veto parcial não é uma opção que vai ser aceita e a presidente Dilma tem condições de usar seu poder para beneficiar toda a sociedade brasileira.

 

"Este é um momento muito importante para todo o país, estamos às vésperas da Rio+20, o mundo inteiro está olhando para o Brasil. A presidente Dilma tem plenas condições de dar uma resposta à altura do que está sendo esperado dela e de ser exemplo para outros países”, explica Regina, reforçando que os interessados/as em pressionar pelo veto integral ainda podem assinar uma petição online criada pela rede WWF, Avaaz e Greenpeace.

 

A decisão da presidenta é fundamental importância, no entanto, ainda pode ser derrubada pela maioria absoluta (metade mais um) de cada Casa. O que quer dizer que 257 deputados/as e 41 vereadores/as, por meio de voto secreto, ainda podem analisar e derrubar a decisão presidencial. E é justamente nesta situação em que mora o perigo. Na Câmara dos Deputados, os ruralistas garantem que sua proposta é defendida pela maioria. Por isso, fica fácil entender porque o projeto da Câmara apresenta propostas que dão espaço à anistia para desmatadores, reduções de áreas protegidas e estímulo a derrubada de floresta.

 

#vetatudodilma

 

Nas poucas horas que ainda restam antes da divulgação da decisão presidencial, diversas manifestações ainda estão sendo realizadas. Às 14h desta quinta-feira teve início na internet um tuitaço com a hashtag vetatudodilma. Amanhã, a mesma mobilização virtual acontecerá das 9h às 19h.

 

Ainda hoje, às 18 começa em Brasília (DF), na praça dos Três Poderes, uma vigília e uma serenata para a presidenta. A iniciativa vai reunir representantes de movimentos sociais, ONG’s, políticos, estudantes, entre outros. João Paulo Capobianco, presidente do conselho do Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Marina Silva, ex-ministra do Meio Ambiente e conselheira do IDS, Maria Cecilia Wey de Brito, secretária-geral do WWF-Brasil, Rebeca Lerer, da Matilha Cultural, Belloyanis Monteiro, da SOS Mata Atlântica, Marcio Astrini, do Greenpeace, e Ivan Valente, deputado federal (PSOL-SP) são algumas das presenças confirmadas para falar sobre a importância do veto integral ao Código.

 

Os participantes também vão poder acompanhar de perto as novas adesões à petição do Avaaz (http://www.avaaz.org/po/brasil_veta_dilma/?sbc) que está rumo aos dois milhões e meio de assinaturas contra a aprovação do novo Código. A manifestação poderá ser acompanhada pelo site www.florestafazadiferenca.org.br.

 

Em São Paulo, ativistas também preparam uma manifestação para hoje e amanhã. A população do Estado está sendo chamada a se concentrar na Casa Fora do Eixo São Paulo (Rua Scuvero, 282, Liberdade) para realizar uma vigília em favor de um Código Florestal que garanta o bem-estar de todos e todas e para dizer: Veta tudo Dilma!

 

Fonte: Adital, por Natasha Pitts

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca