ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • União Europeia
  • REDES

    • MCCE

Ação da PF em aldeia deixa um indígena Munduruku morto

13/11/2012

Uma ação da Polícia Federal na Aldeia Teles Pires, na divisa de Mato Grosso com o Pará, resultou na morte de um indígena e em várias pessoas feridas na quarta-feira (07). Os policiais foram à área em cumprimento à Operação Eldorado, que visa a combater o garimpo na região.

 

Segundo os indígenas Munduruku, os efetivos da PF chegaram ao local por volta das 8h da manhã. Fortemente armados, eles utilizaram helicópteros durante a ação. O barulho das máquinas teria assustado a comunidade, que lançou flechas em defesa da aldeia. Os agentes, então, revidaram com tiros e armas de efeito moral.

 

O ataque da Polícia Federal deixou morto o indígena Adenilson Kirixi Munduruku, atingido por quatro disparos no peito e um na cabeça. Vários indígenas também foram feridos por balas de borrachas e projéteis de armas de fogo. Quatro policiais ficaram feridos pelas flechas e encaminhados para Alta Floresta (MT).

 

Segundo os indígenas, depois da operação a Polícia Federal cercou a aldeia e impediu qualquer tipo de comunicação. No entanto, dois deles conseguiram escapar e foram ao município de Jacareacanga (PA), onde relataram os acontecimentos à Câmara de Vereadores. Além da violência física, eles narraram humilhações contra mulheres, crianças e idosos.

 

A operação tinha mandados judiciais para desarticular uma organização criminosa dedicada à extração ilegal de ouro e posterior comercialização no Sistema Financeiro Nacional (SFN). A Polícia Federal afirma que parte da extração ilegal ocorria dentro de terras indígenas, mas os indígenas rebatem as informações e afirmam que a aldeia não abriga qualquer tipo de atividade garimpeira.

 

Desde 1500

 

Em nota, uma série de entidades repudiaram a ação da Polícia Federal. De acordo com as organizações, o episódio repete o que tem acontecido no Brasil desde a chegada dos europeus. “Quinhentos anos se passaram desde a chegada europeia a Pindorama, mas o confronto de ontem [dia 7] repete o que ocorria no início da invasão. Índio (Munduruku) com flecha defendendo o seu território, e branco (policial federal) com arma de fogo abatendo quem encontrava pelo caminho.”

 

O texto lembra ainda dos vários interesses econômicos sobre as terras indígenas, como o da indústria da mineração, e responsabiliza o governo pela violência. “Por tudo isso, responsabilizamos o governo pelo ocorrido na aldeia Teles Pires. Exigimos que os fatos sejam apurados e os culpados pelos ataques e assassinato do índio Munduruku sejam criminalmente penalizados.”

 

Nesta quinta-feira (08), o Ministério Público Federal encaminhou ofício à presidenta da Funai, Marta Maria do Amaral Azevedo, e ao superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, Cesar Augusto Martinez, solicitando informações sobre o fato.

 

Fonte: Brasil de Fato

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca