ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Instituto C&A
  • REDES

    • FIP

Ato e audiência pública relembrarão assassinatos de José Luís e Rosa Sundermann

11/06/2013

Audiência acontece no dia 12.06, às 18h, no auditório Franco Montouro da Assembleia Legislativa de São Paulo

 

 

No dia 12 de junho de 1994, José Luís e Rosa Sundermann foram brutalmente assassinados na cidade de São Carlos, interior de São Paulo. Ambos eram militantes do PSTU. Enquanto José Luís era da direção do Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) e da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra), Rosa havia sido eleita para a direção nacional do PSTU havia apenas uma semana.

 

Os dois sempre estiveram presentes nas lutas sociais e mobilizações da região, tanto na universidade quanto fora dela. Entre 1990 e 1993, eles dirigiram as greves dos cortadores de cana da região, provocando o ódio dos usineiros e latifundiários. O crime, que se encaixa perfeitamente num atentado político, foi tratado com descaso pela polícia, que caracterizou como crime comum.

Todas as suspeitas dos mandantes, no entanto, levam aos usineiros da região, em especial aos donos da Usina Ipiranga, cujos trabalhadores participaram da greve dirigida por Rosa e José Luis. Denúncias anônimas e um pedido formal de investigação dos usineiros, feito pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo, foram ignorados.

A impunidade permanece até hoje. Em 2004, os advogados do Instituto José Luís e Rosa Sundermann denunciaram o Estado brasileiro à Comissão Interamericana de Direitos Humanos por negligência e omissão na investigação do assassinato.

Esse crime mostra que, mesmo após a ditadura militar, os lutadores sociais continuam sendo vítimas dos poderosos, que matam e ainda saem impunes. Não vamos deixar que esse crime caia no esquecimento. Nesse dia 12, vamos celebrar a memória dos camaradas tombados e, principalmente, exigir do governo e da Justiça a investigação e punição dos culpados. José Luís e Rosa presentes!

 

 

Fonte: NPC

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca