ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Comunidade quilombola do Tocantins é destaque nacional

06/08/2013

 

A comunidade Lagoa da Pedra, na cidade de Arraias, sudeste do estado, primeira noTocantins a ser reconhecida pela Fundação Cultural Palmares como remanescente de quilombolas, está em evidência por meio do livro “Cultura quilombola na Lagoa da Pedra,Arraias-TO”, de Wolfgang Teske.

Publicada pelo Senado Federal, o livro foi o mais procurado na livraria do órgão neste primeiro semestre. Em 295 páginas, o autor do livro faz uma análise da cultura dos quilombolas de Lagoa da Pedra, apresenta uma pequena iconografia dos eventos narrados e relaciona o fenômeno da cultura nas comunidades afro-brasileiros com a natureza.

 

“São obras vendidas a preço de custo, então não se ganha dinheiro com isso, ganha divulgação. Optei por não ganhar dinheiro, mas divulgar a obra. Nunca imaginei, naquela época, que tivesse esse alcance”, diz o autor, acrescentando que o livro está na Universidade de Lisboa, no Centro de Estudos Brasileiros nos Estados Unidos e em várias universidades do Brasil, servindo para base de teses de doutorado.

Segundo Teske, a curiosidade e o número reduzido de pesquisadores que estudam comunidades quilombolas, podem ter atraído a comercialização da obra. “Poucos pesquisadores se dedicam dessa forma e isso por si só chama a atenção porque vai trazer características, elementos de uma história desconhecida  que as pessoas querem conhecer mais.”

 

 

Publicações


"Cultura quilombola na Lagoa da Pedra, Arraias -TO” está encerrando sua segunda edição. O livro antecede “A roda de São Gonçalo na comunidade quilombola da Lagoa da Pedra em Arraias", primeiro trabalho publicado por Wolfgang Teske sobre a comunidade. Outra produção é o “Projeto Fotográfico Roda de São Gonçalo".

 

A primeira edição foi publicada em 2010 e o lançamento foi feito durante a Feira Literária do Tocantins (Flit), em Palmas. O primeiro contato com a editora do Senado começou durante a Flit, em 2009. Após escrever todo o projeto, o autor encaminhou a obra e recebeu resposta positiva. Depois de dez meses o livro foi publicado.

 

A história da comunidade Lagoa da Pedra é a segunda publicação quilombola da editora. A primeira é "O quilombo de Frechal", de Roberto Malighetti. Além de falar de um assunto pouco discutido, Teske diz que o livro é o primeiro no Brasil que une teoria da comunicação com ciências do ambiente.

 

 

Pesquisa


“O objetivo da pesquisa é  dar palco para quem não tem palco e voz para quem não tem voz”. Foi com esse objetivo que o autor começou a pesquisa na comunidade Lagoa da Pedra há mais de oito anos.

 

O interesse surgiu dentro da sala de aula, estudando Teoria da Comunicação. Foi nesse momento, que Teske descobriu a folkcomunicação - estudo da comunicação popular e o folclore na difusão de meios de comunicação de massa. “A partir daí descobri o foco da pesquisa. Poderia estudar indígena, a periferia de Palmas, minoria marginalizada, mas optei por quilombolas”, diz.

 

E dentro do tema quilombola, a comunidade Lagoa da Pedra foi a escolhida por causa da Roda de São Gonçalo - ritual realizado em pagamento a alguma graça alcançada ou concedida, por meio de uma promessa a São Gonçalo. “Lá e o único lugar do estado que tem a roda. Era diferente, isso me gerou curiosidade, aí eu descobri uma riqueza do patrimônio imaterial dessa comunidade, que não é só roda, é uma gama que está chamando a atenção do brasileiro pelo seu valor.”

 

 

Produtos

 

E a pesquisa deu origem a outros produtos, que não só os livros mencionados. Um deles é o projeto de exposição fotográfica Lagoa da Pedra e a Roda de São Gonçalo, que foi realizada por meio do 1º Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afrobrasileiras em parceria com o repórter fotográfico Emerson Silva e o fotojornalista Manoel Júnior. Foram realizados 32 quadros, selos, 12 cartões-postais, um quebra-cabeça gigante e interativo.

 

A pesquisa foi citada em algumas obras, como o "15º Anuário Unesco Metodista de Comunicação Regional", "Contribuições à Geografia Física do Estado do Tocantins", de Fernando de Morais, e  "Vivências e Sentidos - o patrimônio cultural do Tocantins", do Iphan.

 

Esse ano foi lançado o filme "A promessa", baseado no livro "A roda de São Gonçalo na comunidade quilombola da Lagoa da Pedra", que como a obra “Cultura quilombola na Lagoa da Pedra, Arraias-TO”, está em todas as escolas do estado.

 

E as produções continuam. Um outro livro de crônicas sobre toda a trajetória do projeto está sendo produzido. Há ainda dois projetos de filmes, que estão aguardando editais para sair do papel. “Valorizando essa cultura. Eles começaram a ver a importância do que têm”, diz Teske.

 

 

Fonte: G1

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca