ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • MCCE

Polícia expulsa acampados no Cocó com choques e bombas de efeito moral e começa o corte de árvores

08/08/2013

Acompanhe em tempo real os protestos em frente ao Cocó

 

Por volta de 4 horas da manhã desta quinta-feira, 8, cerca de 120 homens do Grupamento de Operações Especiais da Guarda Municipal entraram nas barracas das pessoas acampadas no Parque do Cocó. A Guarda expulsou quem estava dormindo usando spray de pimenta e armas de choque. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, a Polícia Militar deu apoio a desocupação, com viaturas, apenas para diminuir a possibilidade de confrontos.

 

>> Veja as fotos da desocupação no Cocó

>> Internautas registram invasão da Guarda ao acampamento do Cocó

 

Confira vídeo do momento de chegada da Guarda no acampamento

 

Cerca de 9 caminhões e um trator limparam a área do acampamento, recolheram todas as barracas e pertences dos manifestantes, antes mesmo das 5 horas da manhã. A Prefeitura confirma que no acampamento foram usadas bombas de efeito moral, mas nega o uso do spray de pimenta. No entanto, manifestantes garantem que a Guarda Municipal usou, além de spray de pimenta, também bombas de gás lacrimongêneo. A estudante Daniele Ferreira Silva, 32, está com ferimento nas nádegas e disse que foi atingida por uma granada de gás dentro da barraca onde estava dormindo. Camila Carvalho, 23, geógrafa, diz que foi usado dentro do acampamento spray de pimenta e bomba de gás lacrimogêneo.

 

O inspetor Fábio Aquino, comandante da Operação, levou uma pedrada nas costas e também foi atingido por balas de gude atiradas com baladeira. Os pertences dos manifestantes, como barracas e bicicletas, foram levados por caminhões da Prefeitura e encaminhados à Regional II, segundo funcionários do transporte. A assessoria da regional ainda não confirmou a permanência dos objetos no local.

 

A Prefeitura divulgou fotos de armas brancas que diz ter encontrado no acampamento

 

 

A Guarda interditou a área, os manifestantes protestaram e a Polícia, toda sem identificação, explodiu mais uma vez bombas de gás lacrimogênio. O trator já começou a arar o terreno e motosserras já derrubam as árvores.

 

A área interditada pela Guarda Municipal já está sendo liberada e viaturas da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) ainda estão no local para controlar o trânsito.

 

LEIA TAMBÉM

 

Para analista, atitude de Cid no Cocó expressa novidadeVisita de Cid foi "lição de democracia", diz prefeitoQuem são e o que pensam os acampados do Parque do CocóMídia Ninja tem equipes pelo PaísGuarda expulsa acampados no Cocó. Acompanhe em tempo realRoberto Cláudio defende legalidade de ação da Guarda Municipal; MPCE questiona


Durante a desocupação foram registrados quatro confrontos entre manifestantes e a Guarda. Foram presos Vagner Marinho, membro do Grupo Permacultura e Crítica Radical e Adriano, membro da Assembleia Anticapitalista e estudante da Uece, além de um terceiro manifestante que foram levados ao 2º DP. O advogado dos movimentos populares, Jairo Ponte, está na delegacia.

 

Os manifestantes estão convidando as pessoas a saírem de suas casas e irem para a frente do Parque do Cocó. Uma repórter da TV Diário foi hostilizada pelos manifestantes ao chegar ao local.

 

O entroncamento das avenidas Engenheiro Santana Junior e Antonio Sales está bloqueado e o fluxo está sendo desviado para pouco depois do shopping Iguatemi. Por volta das 7h10, o engarrafamentona avenida Antonio Sales é muito grande, e uma via da Engenheiro Santana Junior começa a ser liberada apenas para conversão à esquerda.

 

Fonte: O Povo

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca