ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Instituto C&A
  • REDES

    • TTF Brasil

Marcha nacional pede o fim do genocídio dos negros no Brasil

22/08/2013

Pobre, jovem e negro. Esse é o perfil comum das vítimas de homicídio no Brasil. Com o objetivo de cobrar políticas públicas para essa população específica, acontece nesta quinta-feira (22) em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, a Marcha Nacional contra o Genocídio do Povo Negro.

 

Para Katiara Alves de Oliveira, integrante do coletivo Kilombagem, e uma das organizadoras da marcha, o perfil das vítimas de assassinato é reflexo da desigualdade racial no país. “Toda sociedade precisa entender que o racismo no Brasil, apesar de toda a sutileza, há espaços e política que ele não é sutil, ele é escancarado. Em relação à segurança pública, a polícia, e suas várias instituições deixam bem nítidas o alvo. É Pobre, preto e favelado.”

 

Para Katiara, isso ocorre porque o histórico da escravidão ainda está na mentalidade de muitas instituições no país. Segundo ela, o racismo também está expresso na falta de acesso às políticas públicas. “As mulheres negras morrem seis vezes mais de morte materna que mulheres brancas. E aí tem outras questões de políticas universais, como educação. Tudo quanto é política universal, o acesso do negro é menor ou ele é qualitativamente inferior.”

 

Puxada pela Campanha “Reaja ou será morto, reaja ou será morta”, a Marcha tem como reivindicações o fim do genocídio da população negra e periférica; a desmilitarização da polícia; o fim do encarceramento em massa; e o combate à redução da maioridade penal.

 

De 2002 a 2010, o país registrou 418.414 vítimas de violência letal. 65,1% delas (272.422 pessoas) eram negras, segundo o “Mapa da Violência”, da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso).

 

Fonte: Rádioagência NP, por Leonardo Ferreira. Charge: Latuff

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca