ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • TTF Brasil

Pesquisa revela interesse dos jovens brasileiros pela participação na política

13/09/2013

"Quais são os problemas que mais preocupam os jovens atualmente?", "O que os jovens valorizam no Brasil?" e "Como eles avaliam ·a importância da política?" foram algumas perguntas feitas para jovens brasileiros, entre abril e maio de 2013, portanto antes das manifestações que aconteceram em junho no país.

 

 

Os resultados gerais da pesquisa Agenda Juventude Brasil 2013 foram apresentados em Brasília, no dia 8 de agosto. O evento foi coordenado pela Secretária Nacional de Juventude, Severine Carmen Macedo, e contou com a participação de Regina Novaes, pesquisadora do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), Helena Abramo, coordenadora-geral de Políticas Setoriais da SNJ, Gustavo Venturi, coordenador da pesquisa, e Anna Luiza Salles Souto, coordenadora da área de Juventudes do Instituto Pólis e uma das consultoras dessa pesquisa. O lançamento dos resultados da pesquisa contou ainda com a presença do secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

O estudo sobre perfil e opinião dos jovens brasileiros de 15 a 29 anos revela haver um interesse dos jovens pela política. Anna Luiza, que no evento comentou os dados referentes à percepção sobre a  política e à participação dos jovens, diz que um dado que chama a atenção é que 54% dos entrevistados consideram a política "muito importante". E outros 29% a consideram "mais ou menos importante". Apenas 16% consideram a política "nada importante".

 

Quando convidados a apontar duas formas de atuação que podem ajudar a mudar ou a melhorar as coisas no Brasil, 45% acreditam que a "participação em mobilizações de rua e outras ações diretas" seja uma delas. A esse dado, por si só revelador, se somam 44% de menções à “atuação em coletivos que se organizam em torno de uma causa” e 35% à “atuação em conselhos, conferências, audiências e outros canais de participação desse tipo”. Outros 34% incluem a atuação via “internet, opinando e cobrando políticos e governantes” e 30% referem-se à "atuação em partidos políticos" como forma de ação política potente para melhorar as coisas no país.

 

"Num quadro em que é visível o desgaste da imagem dos parlamentares e em que um dos gritos dos manifestantes em frente ao Congresso Nacional foi ‘vocês não nos representam’, acho bastante positivo que 30% dos jovens reconheçam que os partidos políticos são importantes para a vida democrática. Na pesquisa, fica claro que quase 1/3 dos jovens fazem a distinção entre a figura dos políticos, cujas práticas são no mais das vezes condenáveis, e os partidos enquanto institucionalidade inerente ao sistema político democrático ", diz Anna Luiza.

 

Outro dado interessante, já mapeado em estudo anterior, refere-se à participação em associações, entidades e grupos: 46% dos jovens já participaram ou participam atualmente de algum dos coletivos listados pela pesquisa e 39% manifestaram "nunca ter participado de entidades ou grupos, mas gostaria de participar". “Ou seja, ainda que mais da metade dos jovens entrevistados mencione nunca ter participado de organizações e associações, há um potencial latente de participação entre os jovens. Muita gente ficou surpresa com a presença dos jovens nas ruas, nas chamadas jornadas de junho, mas os dados da pesquisa falam por si. Nunca é demais lembrar a imagem negativa da juventude brasileira, veiculada sobretudo pela imprensa tradicional, que costuma classificá-la repetitivamente como consumista, individualista, apática, composta por pessoas 'nem aí com nada'. Talvez por isso tamanha surpresa", diz Anna Luiza.

 

 

Sobre a pesquisa

 

A Agenda Juventude Brasil 2013 é uma pesquisa de opinião de caráter nacional que busca levantar as questões da Juventude Brasileira de forma ampla e abrangente, de modo a possibilitar a análise e reflexão sobre perfil, demandas e formas de participação da juventude brasileira. Pretende subsidiar a elaboração de políticas públicas pensadas de forma integrada, a partir do universo juvenil.De responsabilidade da Secretaria Nacional da Juventude (SNJ) da Secretaria Geral da Presidência da República, insere-se nas atividades do Participatório – Observatório Participativo da Juventude. Foi desenvolvida por um conjunto de consultoras, aplicada entre abril e maio de 2013 pela Gestão Venturi Associados, com a coordenação geral de Gustavo Venturi. A pesquisa contou com o apoio da Unesco Brasil.

 

Leia aqui um resumo da pesquisa: http://participatorio.juventude.gov.br/file/download/26191

 

 

Fonte: Plataforma Pela Reforma do Sitema Político

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI)

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca