ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Misereor
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Formação Política Movimento Nacional dos Direitos Humanos - MNDH - SP - Círculo de Cultura em Direitos Humanos

18/09/2013

 

O Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) é um movimento organizado da sociedade civil, sem fins lucrativos, democrático, ecumênico,suprapartidário, presente em todo o território brasileiro em forma de rede com mais de 400 entidades filiadas em todo Brasil. Fundado em 1982,constitui-se hoje na principal articulação nacional de luta e promoção dos direitos humanos.

 

O MNDH tem sua ação programática fundada no eixo 'Luta pela vida contra a violência' e atua na promoção dos Direitos Humanos em sua universalidade,interdependência e indivisibilidade, fundado nos princípios estabelecidos pela Carta de Princípios (Carta de Olinda), de 1986. O foco do MNDH é promoverna sociedade civil organizada, movimentos sociais, organismos públicos nacionais e internacionais, mídia e na sociedade em geral, os Direitos Humanos.

 

No sentido de adensar as reflexões sobre democracia, participação política, violência e extermínio, o MNDH-SP juntamente com suas filiadas desencadeará processos formativos com militantes da área para promover intervenções na realidade que assegurem cada vez a promoção dos Direitos Humanos.

 

Sua opção teórico-metodológica é pautada na educação libertadora; exige a dialogicidade, portanto, a Leitura do Mundo coletiva. É a partir dela, doconhecimento do nível de percepção dos participantes, de sua visão do mundo, que Paulo Freire (1997) considera possível organizar um conteúdolibertador. A realidade imediata vai sendo inserida em totalidades mais abrangentes, revelando ao participante que a realidade local, existencial, possuirelações com outras dimensões: regionais, nacionais, continentais, planetária e em diversas perspectivas: social, política, econômica que seinterpenetram. A localidade do participante é, dessa forma, o ponto de partida para a construção do conhecimento do mundo. Propor que os participantesfalem a partir de seu território, do seu lugar de vida, convivência, trabalho, relações sociais, e, num movimento solidário, dialético e dialógico, criativo ecrítico, ir permitindo que eles desvendem o local e o universal, denominem o mundo e se comprometam com as ações necessárias à construção domundo novo, com justiça social e sustentabilidade, é a grande exigência de um projeto político-pedagógico voltado à formação da cidadania ativa e datransformação social.

 

Por isso, a opção metodológica pelos círculos de cultura, que trazem a prática de cada um, a sua vivência, a sua história, os saberes dos participantes, odiálogo com a realidade, o contexto, o qual é mobilizado por uma questão geradora de debate e carregada de conteúdo do universo cultural dosparticipantes.

 

1º Encontro

 

20 de setembro, das 18h às 21h.

Estratégias de fortalecimento da democracia participativa

Convidados: Prof. Dr. Luiz Eduardo Wanderley (PUC-SP) e Prof. Dr. Marcelo Buzetto (Fundação Santo André)

 

2º Encontro

4 de outubro, das 18h às 21h.

Extermínio e Violência

Convidados: Gabriel Feltran - Pesquisador e Nando Goes - Força Ativa.

 

Os encontros acontecerão no Instituto Paulo FreireRua Cerro Corá, 550 - Alto da Lapa - São Paulo - SPTel.: (11) 3021-5536

 

 

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca