ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • ALOP

ANDI lança pesquisa sobre a abordagem da mídia a respeito de adolescentes em conflito com a lei

17/12/2013

A falta de vozes importantes à compreensão, ausência de dados estatísticos e prioridade de 53,9 % dos veículos em expor opiniões pouco fundamentadas são algumas das constatações da pesquisa

 

Neste mês a ANDI – Comunicação e Direitos divulgou o estudo “A mídia brasileira e as regras de responsabilização dos adolescentes”. No período de 01/04/13 a 15/05/13 ela analisou o noticiário que aborda o sistema socioeducativo e as regras de responsabilização dos adolescentes em conflito com a lei. O resultado não condiz com o papel central do jornalismo: o de fornecer informação qualificada à sociedade, com diferentes pontos de vista e contextualização de fatos. 

O acompanhamento de oito jornais impressos, quatro revistas e um telejornal resultou no especial composto por três partes: “A construção de uma mentalidade”, “Os autores dos discursos” e “O discurso da técnica jornalística”. Os blocos expõem os mecanismos midiáticos usados na construção da mentalidade social, as diferenças e similaridades no comportamento editorial dos veículos e os resultados das análises sobre os conteúdos produzidos e disseminados.

A falta de vozes importantes à compreensão, ausência de dados estatísticos e prioridade de 53,9 % dos veículos em expor opiniões pouco fundamentadas são algumas das constatações da pesquisa. Isso evidência que as tendências encontradas expõem a presença de um noticiário reducionista, que negligencia o debate sobre o sistema socioeducativo e induz a opinião pública a ser favorável à redução da idade penal.

A assessora política do Inesc, Cleomar Souza, reafirma os resultados da pesquisa. Para ela “os meios de comunicação deveriam esclarecer a situação, mas contribuem para aumentar a cortina de fumaça, pois estão impregnados de preconceitos e defendem sempre medidas punitivas em detrimento das educativas”.  Além disso, a assessora acredita que é urgente a necessidade de que sejam feitas campanhas que problematizem o assunto sobre diferentes aspectos para que mudanças sejam obtidas.

Leia a pesquisa completa aqui

 

 

Fonte: Inesc

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca