ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • União Europeia
  • REDES

    • TTF Brasil

Dia Internacional da Juventude 2014 destaca desafios da saúde mental

12/08/2014

"Juventude e Saúde Mental” é o tema escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para celebrar, em 2014, o Dia Internacional da Juventude, comemorado, anualmente, em 12 de agosto. Tocar nesse assunto é uma oportunidade para lutar pelo fim da estigmatização e do preconceito contra homens e mulheres que enfrentam problemas de saúde mental. A escolha do tema também abre espaço para que se difundam experiências de jovens dispostos a falarem sobre como convivem e enfrentam o problema diariamente.

Dados da ONU mostram que 20% dos jovens do mundo enfrentam algum tipo de problema relacionado à saúde mental todos os anos. O período de transição da infância para a fase adulta é o mais propício para o desenvolvimento do problema e os estigmas e a vergonha podem intensificá-lo, impedindo que o jovem busque ajuda e possa desfrutar de uma vida saudável.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon,ressaltou, em sua mensagem para a data, a atenção especial que deve ser dada, sobretudo, aos países onde a saúde mental é ignorada e faltam investimentos. Ban Ki-moon também destacou a necessidade de esforços coordenados para a conscientização sobre a importância de investir e apoiar os jovens com problemas de saúde mental.

"Muitas vezes, devido à negligência e ao medo irracional, pessoas com problemas de saúde mental são marginalizadas não só em relação a um papel na concepção e implementação de políticas e programas de desenvolvimento, como, até mesmo, em relação aos cuidados básicos. Isso os deixa mais vulneráveis à pobreza, violência e exclusão social, tendo um impacto negativo na sociedade como um todo”, apontou.

Irina Bokova, diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) também fez menção à data falando sob a perspectiva de que os e as jovens não devem ser vistos apenas como objetos de política, mas como agentes de mudanças. No caso da elaboração de novas políticas, esses jovens precisam ter suas necessidades ouvidas para que assim sejam criados mecanismos que os ajudem, realmente, a superar os desafios que enfrentam.

"A saúde mental de jovens mulheres e homens é importante para a saúde da sociedade como um todo. Eles são uma fonte de ideias para inovação e líderes para a mudança positiva. Precisamos apoiá-los em todos os sentidos, a fim de construir com eles sociedades inclusivas e saudáveis”, destacou Bokova.

Em várias partes do mundo, estão sendo realizadas atividades para lembrar a data. Em Brasília, Distrito Federal brasileiro, o Sistema ONU está realizando um dia de eventos na Casa da ONU com o tema "Juventude Negra e a Paz”. Durante a manhã deste dia 12, jovens grafiteiros criaram um painel comemorativo sobre o tema nos muros do Complexo Sergio Vieira de Mello. O momento é também uma preparação para a campanha nacional de sensibilização sobre a Juventude Negra e a Paz, que será lançada pelas Nações Unidas no mês de novembro.

O tema é bastante delicado no Brasil, pois mais da metade dos jovens assassinados são negros. No país, o número de homicídios de jovens negros é três vezes maior que de jovens brancos. Organizações e movimentos sociais do país falam em um extermínio da juventude negra.

Fonte: Adital

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Programa de Desenvolvimento Institucional (PDI)

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca