ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Instituto C&A
  • REDES

    • Fórum Social Mundial

Coalizão pela Reforma Política e Plebiscito Constituinte se reúnem na OAB

29/08/2014

A Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas e o Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político realizaram hoje (28), no Centro Cultural da OAB, uma coletiva de imprensa sobre a Semana Nacional pela Reforma Política Democrática, que acontece de 1º a 7 de Setembro (Semana da Pátria).

A coletiva de imprensa, transmitida ao vivo pela Internet, além de apresentar a programação da "Semana Nacional", divulgou os principais pontos das propostas da Coalizão e do Plebiscito.

As mais de 400 organizações sociais do Plebiscito Popular sairão às ruas na Semana da Pátria, recolhendo votos em favor da proposta por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político. Na oportunidade, coletarão assinaturas ao Projeto de Lei de Iniciativa Popular da Reforma Política Democrática e Eleições Limpas.


O secretário-geral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Pereira de Souza Neto, informou que os pontos de coleta estarão em cerca de 1500 quiosques espalhados em todas as capitais dos estados, em Brasília e nas 150 maiores cidades do país.

Para Dom Joaquim Mol, presidente da Comissão para Acompanhamento da Reforma Política da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), trata-se de um momento extraordinário já que "esses os movimentos variados e com interesses comuns podem conseguir conquistas como as obtidas pelas "Diretas Já" e "Lei da Ficha Limpa". Para ele, nenhuma grande mudança social no Brasil aconteceu por bondade de governantes ou de empresários. "Elas aconteceram porque a sociedade se organizou e lutou", afirmou o bispo.

Questionado se o evento da Semana Nacional poderia ser aproveitado em causa própria por políticos em campanha, Carlos Alves Moura, diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), afirmou que a mobilização das entidades é muito clara e definida. Para o diretor, "a campanha política quer a continuação do sistema vigente, não a mudança proposta por estes movimentos sociais".



Conheça as propostas da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas. (Clique aqui)

Conheça as propostas do Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do
Sistema Político. (Clique aqui)

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca