ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Fundação Ford
  • REDES

    • Fórum Social Mundial

Para aproximar profissionais de comunicação do tema, organizações realizam oficina sobre Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

09/09/2014

Foi realizada nesta terça-feira (9), em São Paulo (SP), a “Oficina para comunicadores sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Entender o tema para pautar a sociedade”, organizada pela Abong em parceria com a ARTIGO 19 e a Fundação Friedrich Ebert. O evento precede o Seminário “Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: o que está em jogo nestas negociações? - Análises e estratégias da sociedade civil”, que acontecerá amanhã (10), na sede da Abong.


Veja aqui mais fotos do evento


O encontro reuniu ativistas e comunicadores/as de diferentes entidades para discutir como incluir os ODS e a disputa do processo de negociação dos Objetivos na pauta de veículos de comunicação. Atualmente, a Organização das Nações Unidas (ONU) promove um amplo debate entre os governos sobre os ODS, que substituirão os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio após 2015. Os novos Objetivos – a chamada Agenda Pós-2015 -, desta vez, serão definidos com maior participação popular, com mais consultas locais e regionais. No entanto, ainda falta atenção da mídia em relação às metas e ao monitoramento de indicadores para transformar os ODS em pauta e aproximar a sociedade do debate.

Para Maíra Vanucchi, assessora da área Internacional da Abong, grande parte da população e muitas organizações da sociedade civil ainda acham que este não é um campo de batalha válido. “É tarefa dos meios de comunicação pressionar o governo e estar ao lado da sociedade civil para disputar este espaço”, afirmou.

O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, criado em 2004, é um exemplo de sociedade civil organizada engajada em conscientizar e mobilizar cidadãos/ãs e governo, até 2015, para alcançar os Objetivos do Milênio. O movimento atua por meio de Núcleos Estaduais por todo o País com a Campanha “Nós Podemos – 8 Jeitos de Mudar o Mundo”.
 

Odilon Faccio, um dos palestrantes da Oficina e secretário executivo nacional do Movimento, acredita que os resultados obtidos com os ODM tiveram significativa participação da sociedade civil brasileira. Para ele, o sucesso dos ODM e ODS depende do monitoramente e acompanhamento da sociedade, mobilizando governos, empresas e prefeituras, principalmente por meio da comunicação. “A sociedade civil precisa desse tipo de informação para entender sua importância na discussão e implementação desses objetivos. A maioria das organizações ainda não percebeu que esse debate faz parte de seu objetivo de melhorar a vida da população e não apenas de uma agenda exclusiva da ONU. Falta estabelecer um link entre a atuação das OSCs e os ODM e ODS”, defendeu.

Na opinião de Alessandra Nilo, diretora estadual da Abong em PE, o desânimo da sociedade civil que se vê distante da discussão está relacionado ao fato de os ODM terem sido criados de forma verticalizada, além de apresentar uma agenda reducionista. Em contrapartida, a Agenda Pós-2015, que inclui o processo de definição dos novos Objetivos (ODS), contempla processos nacionais, regionais e globais que dão mais espaço para debates e interferências da sociedade civil. “O papel de profissionais da comunicação, neste caso, é deixar de reduzir os ODM E ODS como algo da ONU e passar a compreender e afirmar a noção de multilateralismo que surge nas discussões sobre esses objetivos”, afirmou.

Para Nilo, a representação da população é essencial para realmente enfrentar as diferentes desigualdades e buscar a democracia financeira. Para isso, é preciso que a sociedade, por intermédio dos meios de comunicação, entenda e se interesse pelo debate.

João Ricardo, assessor de comunicação da ONG ARTIGO 19, uma das entidades organizadoras da Oficina e do Seminário, acredita que a Oficina cumpre um papel importante ao aproximar atores que acompanham o debate sobre ODS, facilitando a articulação e troca entre eles, além de possibilitar que comunicadores/as se apropriem do tema e tornem o debate alvo da abordagem midiática. “Grande parte da forma como a sociedade discute temas públicos ocorre por meio de veículos da imprensa, que se tornam espaços de debates importantes. É um tema complexo e estamos em processo de definição, mas acredito que, na medida em que forem definidos os Objetivos, surgirá mais interesse tanto da imprensa quanto da sociedade civil em geral”, avaliou.

A próxima etapa de discussão dos ODS acontecerá na 69ª Assembleia Geral da ONU, em setembro. O Seminário “Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: o que está em jogo nestas negociações? - Análises e estratégias da sociedade civil” é uma iniciativa para debater e compreender a disputa, principalmente do ponto de vista da conjuntura brasileira. Acesse aqui a programação do evento.


 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Novos paradigmas de desenvolvimento: pensar, propor, difundir

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca