ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • CIVICUS
  • REDES

    • FIP

Experiências agroecológicas no Sertão do Araripe são apresentadas durante Seminário

29/01/2015

Práticas e vivências desenvolvidas por dez famílias agricultoras, na região do Semiárido pernambucano, no Sertão do Araripe, assessoradas pela ONG Chapada e estudadas na pesquisa “Sistemas Agrícolas Familiares Resilientes a Eventos Ambientais Extremos no Contexto do Semiárido Brasileiro” foram divulgadas durante a realização do Seminário Internacional Construção de Resiliência Agroecológica em Regiões Semi-áridas, ocorrido entre os dias 21 e 23 de janeiro, em Campina Grande,  Paraíba, por iniciativa do Instituto Nacional do Semiárido (INSA) e da Articulação Nacional no Semiárido (ASA).

No encontro foram avaliadas ao todo, 100 experiências de famílias agricultoras, consideradas exemplo de resiliência agroecológica no Semiárido brasileiro. O evento reuniu representantes da sociedade civil organizada, dos poderes públicos e de instituições internacionais do Senegal e Colômbia, com o objetivo de promover o intercâmbio de conhecimentos e experiências de combate à desertificação e recuperação de áreas degradadas em regiões semi-áridas.     
                                              

A programação do Seminário incluiu a realização de debates, mesas-redondas, painéis e Dia de Campo. Para Flávio Paiva, bolsista da pesquisa INSA/ASA desenvolvida em parceria com a ONG Chapada, uma das vantagens que o seminário trouxe foi a troca de conhecimento sobre as estratégias de convivência e as ações para a resiliência das famílias. “Observamos as experiências visitadas no polo da Borborema e no Cariri paraibano, verificamos o fortalecimento das ações de gerenciamento de recursos hídricos, estocagem de forragem e alimentos e de outras práticas de convivência. Avaliamos como as oportunidades para o acesso à políticas públicas, espaço de comercialização, protagonismo da mulher e práticas agroecológicas contribuíram para a permanência das famílias no campo”, explica Flávio.     
       

As dez famílias do Sertão do Araripe, assessoradas pela ONG Chapada, apresentadas no encontro e analisadas na pesquisa INSA/ASA são consideradas referência quanto ao estágio alcançado no desenvolvimento de práticas agroecológicas, acesso à infraestrutura hídrica, protagonismo da juventude rural e empoderamento das mulheres na formação dos  agroecosssistemas.                                                                                                                                                                                                                                
Ao lado da assistência técnica e do acesso às políticas públicas estas famílias implementaram uma série de transformações que viabilizaram a construção de um modelo de resistência em períodos de estiagem. Nestes espaços foram desenvolvidas a criação de animais caprinos e aves, o plantio de mudas frutíferas como o caju, maracujá, acerola, manga, o roçado consorciado de milho, feijão, algodão, jerimum, abobora e gergelim.  Além disso garantiram a certificação da produção e ampliaram o conhecimento através da participação em capacitações e intercâmbios. O projeto de pesquisa tem continuidade por mais dois anos. Em maio será realizado um novo seminário, com a participação de todas as 100 famílias do Semiárido envolvidas neste estudo. 

Fonte: ONG CHAPADA ARARIPE

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • FIP - Fórum Internacional das Plataformas Nacionais de ONGs

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - São Paulo - SP - CEP: 01223-010 - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda-feira à sexta-feira, das 9h às 19h

design amatraca