ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Plataforma Reforma Política

Projeto Cisternas nas Escolas reúne monitores/as pedagógicos em Juazeiro

06/03/2015

Projeto Cisternas nas Escolas reúne monitores/as pedagógicos em Juazeiro
O acesso a água nas escolas rurais do Semiárido é tema de um encontro que reúne, em Juazeiro, educadores/as de todos os estados do Nordeste e Norte de Minas Gerais. O evento faz parte do Projeto Cisterna nas Escolas, promovido pela Articulação do Semiárido (ASA) e acontece no Grande Hotel de Juazeiro, tendo iniciado terça-feira (03) e com encerramento previsto para a próxima sexta-feira (05).

Organizações da sociedade civil, a exemplo da Rede de Educação do Semiárido (Resab), contribuem com os debates e discussões acerca dos problemas relacionados ao acesso a água nas escolas da região. Na abertura do evento, o Coordenador do Programa Um Milhão de Cisterna (P1MC), Rafael Neves, lembrou que nos 15 anos de atuação da ASA, as cisternas que têm ajudado as famílias sertanejas a enfrentar os efeitos da estiagem, agora também ajudam a viabilizar a educação voltada à realidade da região, porque esses reservatórios também são instrumentos pedagógicos. Ele lembrou que em estados como o Piauí foram muitas as escolas que fecharam por falta de água, prejudicando seriamente milhares de crianças, um problema que precisa ser enfrentado por meio de políticas de educação apropriadas ao Semiárido.

A Diretora do Departamento de Estruturação à Produção do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), Francisca Rosicleide, falou da importância desse projeto que, em sua primeira fase, vai levar água para 5 mil escolas do Semiárido. Na abertura, a pedagoga Lucineide Martins, representante do Irpaa e da Resab, lembrou o quanto as crianças que estudam na zona rural do Semiárido são as mais prejudicadas, não somente com a falta de água como também com a falta de estruturas e de políticas de educação que não reconhecem à realidade da região.

Durante o evento, as/os participantes do encontro fizeram visitas a projetos de educação nas comunidades ruais de São Bento, em Curaçá, e Massaroca, em Juazeiro. Até o final do evento, serão construídos os passos metodológicos para as Oficinas de Educação e Cursos de Gerenciamento de Recursos Hídricos nas Escolas.


Fonte: IRPAA

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Projeto Sociedade Civil Construindo a Resistência Democrática

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca