ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Pão Para o Mundo
  • REDES

    • Plataforma MROSC

Programa Agrinho em escolas não!

08/07/2015

Ministério Público do Paraná é contrário ao Programa que ensina as crianças em escolas como usar pesticidas no campo!

agrinho nao

O Agrinho é um programa do Sistema FAEP, em parceria com o SENAR-PR, FAEP e o governo do Estado do Paraná, mediante as Secretarias de Estado da Educação, da Justiça e da Cidadania, do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, da Agricultura e do Abastecimento e diversas empresas e privadas como Daw AgroeSciences, Du Pont, e por organizações das empresas dos agrotóxicos, Adef e Aenda, todos interessados na difusão do uso dos agrotóxicos.

O Programa Agrinho é transvestido de um programa de educação ambiental e ensinam as crianças do campo a usarem os pesticidas. Isto acontece dentro de uma farsa: aparentemente as crianças estão participando de um programa de educação ambiental onde se aborda a questão da saúde, meio ambiente e até cidadania. Na verdade, elas são educadas para consumirem e aplicar os agrotóxicos na agricultura.

Os temas “Por que fazer a tríplice lavagem?” vem embutido num programa que aborda outros temas de caráter importante, como “Adolescência, sexualidade e amor (saúde jovem)”; “Dentes saudáveis, criança feliz (odontologia preventiva)”; “Praticando a cidadania na escola (cidadania)”; “Saúde na família (saúde)”; “Por que a água é um recurso natural renovável mas limitado (água)?”; “A sobrevivência do homem depende da biodiversidade (biodiversidade)”; “O que você pode fazer para evitar o efeito estufa (clima)”; e “Qual a importância do solo para o equilíbrio ambiental? (solo)”.

Em função dessa problemática o Ministério Público do Paraná, em abril de 2014, notificou o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, com um parecer contrário a realização desses programa nas escolas publicas do Paraná e fez uma recomendação ao Conselho Estadual de Educação do Paraná para que deliberem medidas imediatas (como aprovação de Resoluções) que impeçam a participação das escolas, professores e alunos das redes públicas ou privadas de ensino, municipais e estaduais, no Programa Agrinho, justificando que a educação deve manter compromisso permanente com a qualidade do ambiente e a vida do planeta.

Fonte: Assessoar

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Informação, formação e comunicação em favor de um ambiente mais seguro para a sociedade civil organizada

Rua General Jardim, 660 - Cj. 81 - São Paulo - SP - 01223-010
11 3237-2122
abong@abong.org.br

design amatraca