ABONG -  - Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais

associe-se

conheça nossas associadas

Procure pelo nome em um dos campos abaixo:

selecione
selecione

Ou faça aqui uma busca detalhada:

selecione
selecione
selecione
selecione
  • APOIO

    • Petrobras
  • REDES

    • FIP

28 de setembro – Dia de luta pela legalização do aborto

28/09/2010

Enfrentamos atualmente uma conjuntura complexa na luta pela legalização do aborto no Brasil. Além do avanço de forças conservadoras, que se organizam em diversas esferas da sociedade – parlamento, ONGs, igrejas – para criminalizar as mulheres e impedir a legalização do aborto, o período eleitoral tem sido marcado por ataques aos candidatos e candidatas que ousam se pronunciar em defesa dos direitos das mulheres.

Ao invés das eleições se caracterizarem como um período de debates aprofundados sobre a realidade das mulheres e do aborto no Brasil, essa discussão simplesmente não tem sido feita, o que só prejudica as mulheres e fortalece as alianças contrárias à sua autodeterminação.


Diante deste quadro, a Frente Nacional contra a Criminalização das Mulheres e pela Legalização do Aborto elaborou uma plataforma de luta para ser apresentada à sociedade no dia 28 de setembro, Dia Latinoamericano e Caribenho de Luta pela Legalização do Aborto.

Avaliamos que é muito importante que os estados realizem ações ao longo do dia 28 de setembro, de acordo com as possibilidades de cada coletivo. A Marcha Mundial das Mulheres participa ativamente da construção da Frente e contribuiu com a elaboração da Plataforma. Assim, nossa orientação é que cada estado organize atividades, atos públicos, colagens, exibições de filmes, apresentações de teatro, coletivas de imprensa e debates com grupos de base. Além de dar visibilidade à luta pela legalização do aborto e discutir nossas propostas contidas na plataforma, trata-se de uma boa oportunidade para articular movimentos e pessoas para se somar esta luta.

A Frente Nacional Contra a Criminalização das Mulheres pela Legalização do Aborto deve ser composta não somente pelos movimentos feministas, mas envolver os movimentos mistos populares e rurais, sindicais de juventude, associações de bairro, conselhos profissionais de categorias, órgãos como OAB, entidades de direitos humanos, partidos políticos, parlamentares e outros.

A Plataforma para a legalização do aborto no Brasil pode ser impressa e divulgada para o maior número de pessoas possível. Confira a plataforma no link: https://docs.google.com/fileview?id=0B293Pw-S_wHcOWJmYTFjMzEtYzU1Yi00NDQxLTkzNGItMTg2NjdiMDE3NzUx&hl=pt_BR

 

Fonte: Sempreviva Organização Feminista (SOF)

 

PALAVRAS-CHAVE

  • PROJETOS

    • Observatório da Sociedade Civil

Rua General Jardim, 660 - Cj. 71 - Osasco- CEP: 01223-010 - São Paulo - SP - Tel.: 11 3237-2122

Horário de funcionamento do escritório: segunda à sábado, das 9h às 19h

design amatraca